Joel adia briga com a Ponte e elogia coletivo

Vasco volta ao 2º lugar no número de vitórias. Técnico não quer vaidade na reta final da Série B

Por O Dia

Rio - A vitória (2 a 0) sobre o Boa Esporte, sexta-feira, permitiu ao Vasco ‘dormir’ na liderança da Série B do Brasileiro. Mas, com o empate (1 a 1) com o Santa Cruz, em Campinas, a Ponte Preta o alcançou na ponta da tabela, com 54 pontos, e, voltou ao primeiro lugar por ter uma vitória a mais (15 a 14) que a equipe de Joel Santana. Nada que incomode o treinador.

Atento à distância (cinco pontos) que abriu sobre o Avaí, quinto colocado, Joel ressaltou a evolução coletiva do Vasco e vê a volta para a Primeira Divisão mais perto. “O importante foi que chegamos aos 54 pontos a nove rodadas do fim da competição. Nossa intenção é chegar na última partida, contra o Avaí, fora de casa, já classificados”, disse.

Vasco, de Joel, voltou a segunda posiçãoAndré Mourão

Na atuação contra o Boa Esporte, papai ressaltou a garra e o espírito coletivo da equipe. Para ele, não existe um time titular e a escalação sempre vai depender de como atue o adversário.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

“A vaidade é a pior coisa que existe no futebol. Não podemos ficar aborrecidos se um tiver de sair para outro entrar. O futebol moderno não permite titulares absolutos. Mas aí falam que Joel está ultrapassado, que não vê mais futebol, vê novela ou cinema. A gente estuda o adversário e tenta escalar uma equipe que possa surpreendê-lo”, explicou Joel.

Curiosamente, Lucas Crispim, que entraria no lugar de Douglas no segundo tempo, se confundiu e Kléber saiu contra o Boa. Erro que irritou a comissão técnica, mas mudou a história do jogo, já que o primeiro gol foi justamente do camisa 10. “Não importa quem saísse, a gente ia vencer”, garantiu Crispim.