Um mistério para Doriva desvendar

Técnico aproveita treinos secretos para testar o time, mas mantém vagas abertas no ataque do Vasco

Por pedro.logato

Rio - Os portões fechados, o mistério e a falta de informação só aumentaram a dúvida sobre que time o Vasco mandará a campo contra o Flamengo, amanhã, em um clássico no qual só a vitória garante a classificação. E, em uma das poucas pistas que deu, o técnico Doriva aumentou ainda mais a confusão. Ele afirmou que ainda não escalou os titulares e que precisa escolher seu ataque. Mesmo longe dos 100%, Dagoberto pode ser a novidade.

Tratado como a contratação de maior impacto do Vasco nesta temporada, o atacante, além de ainda não ter atingido a melhor forma física após um edema no tornozelo esquerdo, jogou pouco este ano. Como o atleta, que disputou apenas três partidas desde que chegou, busca ritmo, a comissão técnica mantém certa cautela.

Vasco se prepara para enfrentar o FlamengoMarcelo Sadio/Vasco da Gama/Divulgação

“A gente sabe que o Dagoberto precisa de ritmo de jogo e de mais treinamento também. Ele entrou no último clássico mais por causa do lastro que tem, da qualidade. É um jogador que teve a semana inteira para trabalhar, mas que ainda não está no seu melhor. É o tipo de coisa que demora um tempinho para acontecer”, disse o comandante.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

O leque de opções está aberto. Caso Dagoberto não inicie o clássico, Yago aparece como o favorito de Doriva para formar dupla de ataque com Gilberto. Porém, mesmo após o episódio do choro compulsivo no jogo contra o Rio Branco, Bernardo também corre por fora por uma chance. Se não for na frente, a vaga pode pintar no meio, já que a escalação de Marcinho também não está garantida.
O apoiador fez trabalhos à parte no início da semana, mas, em um provável jogo tenso, a experiência pode ser determinante a seu favor.

LEIA MAIS: Notícias, resultados e bastidores do Campeonato Carioca

“Marcinho, que está em uma situação física melhor que a do Dagoberto, está acostumado com jogos decisivos. Mas, independentemente de quem vá entrar em campo, nossa preocupação é manter o controle emocional em campo. É importante manter a concentração e a calma para terminarmos com onze jogadores em campo”, afirmou Doriva, que prometeu não fazer tantas mudanças</CW> no time.

Pedido especial para a arbitragem

Uma das principais preocupações do técnico Doriva é a de que a arbitragem do clássico de amanhã com o Flamengo não repita a má atuação do confronto da última semana. O treinador pediu uma atuação imparcial para que nenhum dos times seja prejudicado.

"A gente quer a arbitragem neutra. Não queremos ajuda, mas também não podemos ser prejudicados. Se os atletas pensarem apenas em jogar bola, poderemos nos classificar”, disse.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia