Por pedro.logato

Rio - A bola no lado esquerdo do ataque. Léo Lima, em vez de tentar de canhota, entraria para a história ao arriscar cruzamento de letra. Cadu acreditou no lance e, de cabeça, deixou Souza livre para fazer o gol do título. Passados 12 anos, o torcedor lembra como se fosse ontem da última conquista do Vasco no Carioca. Mas, e os atuais jogadores do Gigante, o que faziam naquela época?

Vasco está próximo de voltar a ser campeão do CariocaJoão Laet / Agência O Dia

Com a missão de encerrar o maior jejum da história do clube na competição, Guiñazu e companhia têm buscado paz para vencer a ansiedade. “Não podemos deixar que a euforia da torcida se transforme em pressão. É a nossa primeira disputa. Não estávamos aqui no passado”, disse o lateral-esquerdo Christiano.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

De fato, enquanto alguns já eram campeões, outros, como o próprio Christiano, que tinha 11 anos e jogava futsal no Flamengo, ainda sonhavam com a profissão. Martín Silva, com 20, estava em seu segundo ano no Defensor, do Uruguai. Rodrigo, por sua vez, terminava a sua passagem pela Ponte Preta, que o revelou.

Guiñazu, com 24, já havia conquistado o Campeonato Argentino em 2002, pelo Independiente. Julio dos Santos, que tinha 19, se destacava no time do Cerro Porteño, que seria o bicampeão paraguaio em 2004 e 2005. Por falar em títulos, Marcinho estreou em 2003 no Cruzeiro e fez parte da histórica tríplice coroa conquistada pela Raposa.

Na final de 2003%2C Souza fez gol do título do Vasco Arquivo O Dia

Dagoberto, não fica atrás. Com 20 anos, já era campeão Brasileiro, Estadual e Mundial Sub-20, pela Seleção. Madson, com 11, e Serginho, com 16, davam os primeiros passos na base do Vitória e do Atlético-MG, respectivamente. Com nove anos, Luan morava com os pais no interior do Espírito Santo e fazia parte da escolinha do Associação Esportiva Tubarão.

E Gilberto, com 13, vivia em Piranhas, no Alagoas, e nem sonhava que estaria em campo logo mais. “É um grupo que une a experiência de uns e a juventude de outros”, elogiou Doriva, recentemente.

Título carioca também encerra jejum de estreantes

Se o Vasco está muito perto de acabar com o incomodo jejum de títulos, alguns jogadores do atual grupo vivem a expectativa de levantar um troféu pela primeira vez na carreira.

Dos reforços contratados para esta temporada, apenas o lateral-esquerdo Christiano ainda não teve o gostinho de gritar ‘É campeão’. Dos que já estavam no clube, Montoya e as crias da base Luan, Jhon Cley, Thalles e Yago também sonham com a glória.

“Minha família mora longe. Eles vieram ano passado e a gente não levou a taça. Esse ano pedi para eles ficarem em casa”, brincou Luan.

Você pode gostar