Clima tenso em São Januário

Terceira derrota seguida aumenta a pressão em cima do grupo

Por O Dia

Rio - A terceira derrota seguida no Brasileiro e a vice-lanterna da competição deixaram o clima ainda mais pesado em São Januário. Nem a bela manhã de sol parecia animar os jogadores. De longe, dava para se ouvir o barulho da bola. Guiñazu, Gilberto e Jordi, os únicos titulares que subiram ao campo, fizeram um trabalho com bola sob silêncio sepulcral.

Vasco e Doriva vivem momento bem complicadoDivulgação

Enquanto isso, o restante do grupo fazia um trabalho físico na academia. Coube a um dos jogadores mais jovens do grupo conversar com os jornalistas. O atacante Thalles garantiu que o problema do time não é só emocional: “Eu acho que (o problema) não é psicológico. É a dificuldade do Campeonato Brasileiro. O grupo é bom e, no decorrer da competição, a gente vai se acertar e melhorar a nossa situação”.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

Apesar dos maus resultados, o atacante revelou que o técnico Doriva tem conversado com o grupo e que o clima entre os jogadores é bom. “Doriva tem passado muita confiança para a gente. O comportamento do time desde o jogo com a Ponte Preta para esse já melhorou. Todos os jogos são difíceis e a gente tem que se empenhar dentro de campo para conseguir os resultados”, afirmou.

O próprio atacante tem deixado muito a desejar nesta temporada. Desde que disputou o Sul-Americano Sub-20, o jovem goleador não marcou nenhum gol pelo Vasco. Um problema recorrente no Campeonato Brasileiro. Em seis jogos, o Vasco marcou apenas um gol, feito por um volante, Lucas. “Eu acho que o jogador tem que ter autocrítica. Eu não comecei o ano tão bem assim, mas eu confio em mim e espero melhorar nos treinamentos. Se eu continuar trabalhando, tenho tudo para voltar a fazer gols e ajudar o Vasco”, prometeu.

Vitória contra Cruzeiro será fundamental

Thalles tem boas lembranças do Cruzeiro, adversário de sábado, em São Januário. Um dos primeiros gols como profissional foi contra o time mineiro, no Brasileiro de 2013. “A gente tem tudo para fazer um grande jogo e, se eu tiver a oportunidade de entrar em campo, vou procurar ajudar o Vasco da melhor maneira possível”, prometeu.

Apesar da péssima posição na tabela — o Vasco é o penúltimo, com apenas três pontos em seis jogos —, ele acredita que muita água vai rolar até o fim do Brasileiro. “O campeonato começou agora. Tem muita coisa para acontecer. Até a rodada passada o Cruzeiro estava na zona do rebaixamento, ganhou um jogo e já saiu. As equipes estão muito próximas umas das outras na tabela. A gente sabe que tem que ganhar, somar pontos, principalmente dentro de casa, e o apoio da nossa torcida será fundamental para a gente conquistar a primeira vitória”.