De cabeça feita, Vasco enfrenta o Cruzeiro e busca a primeira vitória

Gigante da Colina sentou no divã para sair da crise

Por O Dia

Rio - Há praticamente uma semana em silêncio e isolado em Mangaratiba, o Vasco sentou no divã para encontrar a saída para a crise. Mas, para buscar a paz que há algum tempo não aparece na Colina, precisará reencontrar o bom futebol. Neste sábado, às 21h, o time mostrará em campo, contra o Cruzeiro, em São Januário, se algo mudou em relação à equipe que ainda não venceu no Brasileiro e está na zona de rebaixamento, com três empates e três derrotas consecutivas. A cautela, entretanto, toma conta de Doriva.

Doriva tenta fazer o Vasco volta a sorrirDivulgação

O sinal de alerta está aceso. Sem sossego para trabalhar na sua própria casa - torcedores protestaram pedindo mais atitude aos jogadores e o clima esquentou na terça-feira -, a diretoria do Vasco agiu, liberou o meia Marcinho e o zagueiro Douglas Silva, que estavam insatisfeitos, e puniu o meia Bernardo pelos seguidos atos de indisciplina. Feita a faxina, a delegação buscou um recomeço fora do Rio.

TEMPO REAL: Acompanhe o duelo entre Vasco e Cruzeiro

Em um luxuoso resort de Mangaratiba, Doriva e sua comissão técnica, que não permitiram a entrada de jornalistas no local, fizeram mexidas e reestruturaram a equipe. Para encarar o forte time do Cruzeiro, atual bicampeão brasileiro, o comandante, mesmo ciente de que precisa vencer em casa, deve apostar em uma formação mais defensiva, com cinco jogadores no meio de campo, sendo três volantes.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

O Vasco entrará em campo provavelmente com Charles, Madson, Luan, Rodrigo, Julio Cesar; Diguinho, Guiñazu, Jackson Caucaia, Jhon Cley e Emanuel Biancucchi; Gilberto. No treino tático desta sexta-feira, os titulares venceram os reservas por 2 a 0.

Técnico pressionado

Após a conquista do título estadual, Doriva tenta contornar uma grave crise técnica no Vasco. A diretoria, porém, tem garantido o comandante no cargo. Mas uma nova derrota em casa - o time perdeu por 3 a 0 para a Ponte Preta - pode definir o futuro do treinador, que já tem sido muito pressionado por irritados torcedores.