Por pedro.logato

Rio - A fase não poderia ser mais difícil. Penúltimo colocado no Brasileiro com 12 pontos em 16 jogos, piores ataque e defesa — apenas oito gols feitos e 29 sofridos. Apesar do cenário desolador, o técnico Celso Roth não joga a toalha e tem a receita para tirar o Vasco do Z-4.

“Dizer que é trabalhar, trabalhar e trabalhar, é muito pouco. É preciso falar aos jogadores o que está acontecendo, o que estamos deixando de fazer. Mostrar onde estamos errando e corrigir. E não deixar de falar a verdade. O que é muito difícil nos dias de hoje”, ponderou o técnico, que tem procurado trabalhar o lado psicológico do grupo.

Celso Roth crê em recuperação do Vasco no BrasileirãoDivulgação

“Digo para eles que a nossa situação no campeonato não está de acordo com a história do clube. Repito para que tenham ciência de que estão, no momento, devendo a seu torcedor e a si mesmos. É isso que estamos fazendo, conversando muito com os jogadores e colocando essa realidade para sairmos desse momento”, revelou. Para reagir no Brasileiro, a primeira missão é derrotar o Joinville, adversário direto na briga contra o rebaixamento, domingo, no Maracanã.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

“Temos que ter muito respeito com o Joinville, que ganhou a última partida. Não podemos ir para o jogo achando que as coisas vão acontecer facilmente. É preciso trabalhar e trabalhar muito”, avisou Roth. Ele deixou claro que não é hora de tapar o sol com a peneira. E admitiu que o time não tem feito por merecer o apoio da torcida.

Mas, mesmo assim, espera um voto de confiança: “Só tem um elemento que faz que a torcida vá: o time estar ganhando e jogando bem. Não é nosso caso. Então, se o torcedor nos apoiar, ótimo. Precisamos sempre deles. Mas acima de tudo tomara que a gente faça um bom jogo e saia com o resultado positivo.”

Martín Silva volta. Thalles pode jogar

Celso Roth confirmou a volta do goleiro Martín Silva à equipe no lugar de Jordi, domingo. Mas outras mexidas poderão ser feitas.

Nos últimos dias, o técnico observou muito os jogadores que não vinham sendo aproveitados. No treino de segunda, conversou separadamente com Thalles, de visual novo, e com o meia Matheus Índio. Ambos devem ser testado nos treinos fechados da semana, na Escola de Educação Física do Exército, na Urca. A dupla pode ser a novidade contra o Joinville.

Você pode gostar