Apesar da situação mais complicada, Jorginho mantém otimismo no Vasco

Após a 13ª derrota e mais uma rodada na lanterna, treinador afirma que o time ainda tem condições de se safar da queda

Por O Dia

Rio - Mesmo com a situação cada vez mais complicada no Brasileiro após a 13ª derrota, Jorginho ainda prefere manter o otimismo no Vasco e declarou "guerra" contra os pessimistas. Faltando 18 rodadas para o fim da competição, a situação do Cruz-maltino é crítica. Com 13 pontos em 20 jogos e apenas oito gols marcados, o treinador garante que é possível acreditar em destino melhor.

"Temos que trabalhar com os atletas isso. É passo a passo. Perdemos um jogo, mas temos mais 18 ainda. Temos que entender que temos condições, lutar contra o pessimismo de quem é pessismista", afirmou.

Sobre a derrota para o Goiás, o treinador preferiu não ser muito incisvo nas críticas contra a arbitragem, mas fez questão de questionar os dois pênaltis marcados a favor do Esmeraldino, além da expulsão de Jorge Henrique.

Apesar da situação cada vez mais complicada%2C Jorginho prefere manter o otimismo no VascoDivulgação

"Só acho que o Jorge Henrique não merecia ser expulso. O bandeira que o entregou não tinha uma visão privilegiada da situação. Ele realmente não pisou. È muito difícil de colocar e falar. Erros existem, o futebol está aí com isso. Quero deixar bem claro, falo em relação ao jogo de hoje. Foi atípico com expulsão muito rápida. Tomar gol com poucos minutos e o segundo gol, questionável. Outro pênalti igual. Teve um ao nosso favor. Não quero julgar uma arbitragem. Foram situaçlões que podemos questionar a interpretação", disse.

A ordem agora no Vasco é sacodir a poeira após a derrota e mudar a chave para tentar garantir a classificação na Copa do Brasil, contra o Flamengo, na quarta-feira no Maracanã. 

"O mais importante é que entendemos que não podemos nos manter desequilibrados. A equipe se manteve taticamente organizada. Temos frisado bastante que é passo a passo. Esses jogos não tem nada a ver com o Brasileiro. Nos traz novo fôlego. Mas são competições diferentes. Os jogadores tem que entender. Essa é a minha missão", encerrou.