Diguinho condena agressão de torcedor a Rodrigo: 'Violência não adianta'

Vasco vive momento delicado no Campeonato Brasileiro

Por O Dia

Rio - O Vasco não conseguiu o efeito desejado ao trocar São Januário pelo Maracanã. No estádio, da sequência de quatro jogos que fez, empatou um e perdeu três, sendo a última derrota neste sábado, para o Atlético-MG. O clube vive momento delicado, na lanterna do Brasileiro, e pressionado - a torcida protestou e até agrediu o zagueiro Rodrigo na sexta-feira. Diguinho condenou o episódio e também falou sobre o retorno à Colina - o Cruzmaltino atuará no próximo jogo como mandante, contra o Atlético-PR, no dia 13, em São Januário.

O desespero de Diguinho%3A nada dá certo para o VascoAndré Mourão / Agência O Dia

"Essa é a situação que estamos, vivemos certa intranquilidade. Jogar em São Januário é válido, pois é a nossa casa, o torcedor é familiarizado. O que o torcedor fez (agressão a Rodrigo) foi lamentável, queremos sair dessa situação. Cabe a nós lutar dentro de campo. Não vai ser com briga ou violência. Se isso adiantasse, ninguém seria rebaixado. Jogamos bem, levamos dois gols e tentamos reagir. O espírito é esse. Estamos consciente de que é complicado", declarou Diguinho.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

Com 13 pontos, 12 a menos do que o Goiás, primeiro time fora da zona de rebaixamento e que ainda vai jogar na rodada, o Vasco agoniza no Brasileiro e precisa de praticamente um milagre para evitar a terceira queda em sua história. Na próxima rodada, nesta quarta-feira, às 19h30, o Cruzmaltino encara a Ponte Preta no Moisés Lucarelli.