Eurico condena atitude da torcida e diz que Vasco tomará 'providências legais'

Em nota oficial, presidente cruzmaltino falou sobre as manifestações dos torcedores nesta sexta-feira

Por O Dia

Rio - Após a confusão na porta do hotel da concentração dos jogadores do Vasco Eurico Miranda divulgou uma nota oficial sobre o ocorrido. No comunicado, o presidente do Cruzmaltino afirma que já identificou os agressores, que seriam pertencentes à torcida organizada Força Jovem. O dirigente garantiu que o clube está tomando as providências legais para puní-los.

LEIA MAIS: Grupo de torcedores agride jogador do Vasco e atira ovos em ônibus

Na sexta-feira, a torcida vascaína protestou em frente a São Januário e tentou invadir o clube, sendo contida pela Polícia Militar. No mesmo dia, na parte da noite, os torcedores seguiram para a porta do hotel onde os jogadores estavam para continuar o movimento. Na ocasião, um torcedor agrediu o zagueiro Rodrigo.

Confira a nota na íntegra:

"O Club de Regatas Vasco da Gama repudia de forma enérgica os atos de violência da última sexta-feira (04/09) patrocinados pelas duas facções que lutam pelo controle da torcida Força Jovem, banida dos estádios por ordem da Justiça.

A tentativa de invasão de São Januário, onde se encontravam atletas profissionais e amadores de diversas categorias, crianças das escolinhas e sócios foi contida para que não se colocasse em risco a integridade física de todos. Os agressores, quase todos já identificados, pertenciam a uma das facções da Força Jovem.

Já no cerco ao ônibus do clube, na chegada à concentração, no centro do Rio, estavam presentes os membros de outra facção da banida torcida, que agiu com igual violência culminando com a agressão ao jogador Rodrigo. Também neste caso estão identificados os agressores.

É preciso que fique esclarecido que ali não estava a torcida do Vasco. Os verdadeiros torcedores estão envergonhados e chateados com a campanha no futebol e isso é reconhecido pela própria Diretoria. Ali, no entanto, estavam membros de uma organização banida dos estádios e que utilizam quaisquer meios para o controle da facção.

O Club de Regatas Vasco da Gama está tomando todas as providências legais sobre os dois casos para que as condições de civilidade prevaleçam sobre a barbárie e o crime. O Vasco reafirma que defenderá seus atletas, suas crianças e seu patrimônio.

Eurico Miranda
Presidente do Club Regatas Vasco da Gama"