Vasco acaba com seca de gols, mas perde de novo: o drama só aumenta

Gigante da Colina amarga a sexta derrota consecutiva

Por O Dia

Rio - O Vasco acabou com a seca de gols no Brasileiro, mas o jejum de vitórias continua... O time está atolado na lanterna. O drama da torcida vascaína aumenta no calvário que o clube enfrenta, com o terceiro rebaixamento para a Série B cada vez mais iminente. Neste sábado, o Atlético-MG venceu por 2 a 1, no Maracanã. Foi a sexta derrota seguida no torneio do Vasco, que não vence há nove rodadas. O Gigante da Colina precisa de um milagre.

Pressionado%2C Vasco recebeu o Atlético-MG no Maracanã e perdeu mais umaAndré Mourão / Agência O Dia

O desespero só aumenta. A torcida do Vasco sofre. Em campo, o time luta e se esforça, mas a pressão também é inimiga. A bola, vez por outra, queima nos pés. Foi um verdadeiro martírio acabar com a seca de gols. A tristeza toma conta de São Januário. O time tem 13 pontos, 12 a menos do que o Goiás, primeiro time fora da zona de rebaixamento, e que ainda vai jogar na rodada.

LEIA MAIS: Eurico condena atitude da torcida e diz tomará 'providências legais'

O Galo se aproveitou da situação do Vasco e deu o bote na hora certa. Não foi uma grande atuação, mas suficiente para vencer o desesperado cruzmaltino. O Maracanã virou a casa do Atlético em 2015. O clube bateu todos os times do Rio. O Galo pulou para 45 pontos e se mantém na vice-liderança do Brasileiro.

FOTOGALERIA: As imagens do duelo entre Vasco e Atlético-MG, no Maracanã

Na próxima rodada, nesta quarta-feira, às 19h30, o Vasco enfrenta a Ponte Preta no Moisés Lucarelli. O Galo recebe, também na quarta, às 19h30, o Avaí no Independência.

O jogo

O Vasco teve chance de abrir o placar, mas Rodrigo, que se aventurou no ataque, tocou por cima do gol - era abafado por Victor. O Galo, então, deu o bote. Patric tabelou Pratto e invadiu a área. Rodrigo derrubou o lateral. Pênalti. Pratto cobrou e fez 1 a 0. A bola do Cruzmaltino teima em não entrar. Após passe de Diguinho, novidade do time, Nenê demorou muito a finalizar e foi travado.

VEJA MAIS: Confira a tabela e classificação do Campeonato Brasileiro

Já o chute de Leandrão, estreante da noite, parou em Victor. O centroavante girou sobre a marcação e chutou com força, mas o goleiro do Galo estava atento e salvou. O Galo deu o bote de novo. Em contra-ataque, Giovanni Augusto achou Dátolo. O argentino teve calma e liberdade para dominar, olhar e acertar o ângulo de Jordi: 2 a 0. O Vasco ficou na bronca com a arbitragem de Elmo Alves Resende Cunha e pediu falta na origem do lance, mas Jorge Henrique havia se jogado. Não houve infração.

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

O Galo quase ampliou no início do segundo tempo. Dátolo arriscou de fora da área. Jordi espalmou. Jorginho fez duas mudanças. Entraram Rafael Silva e o estreante Felipe Seymor. Lucas e Jorge Henrique saíram. Depois foi a vez de Andrezinho entrar na vaga de Julio dos Santos. O Cruzmaltino tinha dificuldade para criar. A oportunidade veio em cobrança de pênalti. Bruno Ferreira foi lançado e sofreu a carga de Dátolo. Nenê cobrou e diminuiu. Foi o primeiro gol do meia-atacante com a camisa do Vasco, que acabou com a seca de 40 dias se marcar - sete jogos consecutivos no Brasileiro.

O Vasco, porém, não teve forças para buscar o empate e amargou mais uma derrota no Brasileiro. O desespero era evidente, como na expulsão tola de Rafael Silva. A situação piora a cada dia...

FICHA TÉCNICA

VASCO 1X2 ATLÉTICO-MG

Estádio: Maracanã
Público: 8.768 presentes
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha
Gols: Pratto (Atlético-MG, aos 23' do 1ºT), Dátolo (Atlético-MG, aos 43' do 2ºT) e Nenê (Vasco, aos 28' do 2ºT)
Cartão amarelo: Jorge Henrique e Lucas (Vasco) e Dátolo e Cardenas (Atlético-MG)
Cartão vermelho: Rafael Silva (Vasco)

VASCO: Jordi; Bruno Ferreira, Rodrigo, Luan e Christiano; Diguinho, Lucas (Felipe Seymor, aos 11' do 2ºT), Julio dos Santos (Andrezinho, aos 25' do 2ºT) e Nenê; Jorge Henrique (Rafael Silva, aos 11' do 2ºT) e Leandrão; Técnico: Jorginho.

ATLÉTICO-MG: Victor; Patric, Leonardo da Silva, Edcarlos e Pedro Botelho; Rafael Carioca, Leandro Donizete, Dátolo e Giovanni Augusto (Dodô, aos 20' do 2ºT); Thiago Ribeiro (Cardenas, aos 20' do 2ºT) e Pratto; Técnico: Levir Culpi.