Vasco a dez passos da salvação

Gigante se prepara para reta final do Brasileiro

Por O Dia

Rio - O grito de “Eu acredito”, que ecoou na arquibancada do Maracanã, após a grande vitória sobre o arquirrival Flamengo, é o mantra que mantém vivo o sonho dos vascaínos de se livrar do terceiro rebaixamento da história do clube. A dez rodadas para o final do Campeonato Brasileiro, o ‘Ataque’ mostra os passos que separam o time da salvação da degola. Apesar da fantástica recuperação no returno — onde conquistou 13 pontos nas últimas cinco rodadas, a mesma pontuação de todo o primeiro turno — a caminhada promete ser muito espinhosa.

“A recuperação do Vasco no campeonato é muito significativa. A situação ainda é crítica, mas é muito melhor do que já foi. Bem melhor, por exemplo, do que a do Fluminense no Brasileiro de 2009. Só não sei se terá a mesma competência nas rodadas finais para escapar. Mas o Vasco está vivo no Brasileiro”, garante o matemático Tristão Garcia, do site Infobola.

Vasco deu mais um passo contra a degola e afasta o rival do G-4Márcio Mercante / Agência O Dia

A recuperação na tabela é tão expressiva que as chances de rebaixamento, que já chegaram a ser de 99%, hoje são de 85%, segundo Tristão. Mas, para espantar de vez o inferno do descenso, o matemático calcula que o Gigante da Colina precisa de 47 pontos. Como tem 26, teria que conquistar mais 21 em 30 possíveis. Ou seja, vencer sete jogos em dez. Mas o número pode ser até menor.

“O Vasco pode escapar até com 46 pontos, mas já não é garantido. Pode escapar até com 45 pontos, mas, neste caso, o risco é muito maior, seriam 88% de chances de não cair. Pode até acontecer, mas é incerto”, argumenta Tristão Garcia. Neste caso, o time da Colina poderia escapar até com seis vitórias e mais um ou dois empates.
Mas a conta do técnico Jorginho é outra. Na calculadora vascaína, a equipe pode se salvar com até 43 pontos. Ou seja,com cinco vitórias e dois empates em dez jogos.

Torcedores do Vasco acreditam na salvaçãoEstefan Radovicz

PALMEIRAS ESCAPOU COM 40

Desde que o Brasileiro passou a ser disputado com 20 clubes, na era dos pontos corridos, o time que escapou com menor pontuação foi o Palmeiras. No campeonato do ano passado, o Verdão tirou a corda do pescoço com sete pontos a menos que a média esperada nesta temporada, 40. Em 2010, o Atlético-GO se salvou com 42, e em 2011, o Cruzeiro fugiu com 43 pontos.

“Cada campeonato tem uma dinâmica, mas não acho que essas pontuações vão se repetir este ano. É fato que o Vasco pode escapar até com menos que 46, mas, neste caso, vai precisar que seus adversários diretos pontuem bem menos”, adverte.

Fato é que, caso o Vasco mantenha o embalo do returno, pode até surpreender quem tinha certeza absoluta que o presidente Eurico Miranda passaria o final do ano na inóspita Sibéria, como prometeu o dirigente como penitência caso o time realmente venha a cair.

Mas, apesar do otimismo da torcida, o cenário ainda é incerto, haja visto que o Vasco terá pela frente dez duelos de gigantes. O primeiro será domingo, na Ressacada, no confronto com o Avaí, 15º colocado, que está bem próximo à pantanosa zona da queda. O confronto seguinte é direto com a Chapecoense, 17ª colocada, em casa. Jogo que o Vasco tem a obrigação de vencer.

Os cinco adversários seguintes são de dar arrepios: São Paulo, Grêmio, Fluminense, Palmeiras e Corinthians. E as partidas finais também serão carne de pescoço. O jogo com o Joinville é outro confronto direto. Depois, o Vasco receberá o Santos, que ainda briga pelo G-4.

Mas o dramático capítulo final será bem longe da torcida. Dia 6 de dezembro, contra o Coritiba, no Sul. O Vasco, porém, terá um trunfo a mais para se salvar. Dos dez jogos que faltam, seis serão em casa. Se a torcida abraçar o time de corpo e alma, poderá fazer a diferença entre o inferno do rebaixamento e o paraíso da elite. Fé não vai faltar.