Assim como Henrique, em 2004, Nenê crava: ‘Sem volta olímpica aqui’

Gigante quer evitar conquista do Timão, como fez com o Furacão

Por O Dia

Rio - “Disseram que compraram a champagne para comemorar, mas, em São Januário, duvido ter volta olímpica”. Às vésperas do jogo com o Corinthians, a frase nunca esteve tão atual na Colina. Mas a declaração foi dada em 2004 pelo zagueiro Henrique, autor do gol que livrou o Vasco do rebaixamento no jogo que poderia ter encaminhado o título brasileiro do Atlético-PR. Hoje, aquela vitória, assim como o desabafo, inspira o time.

“Temos que continuar com esse pensamento. Sem volta olímpica na nossa casa. Se o Corinthians tiver de ser campeão, será por que o Atlético-MG empatou ou perdeu o jogo (contra o São Paulo) e não por vitória sobre a gente”, concordou Nenê.

Nenê acredita em vitória do VascoPaulo Fernandes/Vasco.com.br

LEIA MAIS: Notícias, contratações e bastidores: confira o dia a dia do Vasco

Não é a primeira vez que o Vasco, em São Januário, tem a missão de jogar água no chope do adversário. Se o Corinthians tem uma enorme vantagem e pode ser campeão mesmo se perder, em 2004, a penúltima rodada do Brasileirão guardou grandes emoções. Líder na maior parte da disputa, o Atlético-PR, dois pontos à frente do Santos, segundo colocado, visitou a Colina.

A vitória encaminharia o título, mas aí veio a cabeçada mortal do zagueiro Henrique aos 21 minutos do segundo tempo. Um gol que fez o ex-jogador entrar para história do clube e da competição. Ele, porém, acredita que o raio possa cair duas vezes em São Januário e até prevê quem será o novo herói.

“O Vasco pode vencer o Corinthians e torço para alguém aproveitar uma cobrança de falta. Tomara que o Rodrigo (zagueiro) faça de cabeça. Igual ao meu lance”, brincou Henrique, que até hoje lembra a atmosfera que antecedeu aquele confronto.

Henrique salvou o Vasco do rebaixamento em 2004Uanderson Fernandes

“A ansiedade é muito grande. Enfrentar o melhor time, que quase não perdeu, e ter a obrigação de superá-lo não é fácil. Não dormi direito antes do jogo. Mas sabia que o time teria de correr o dobro para vencer. Os atuais jogadores devem estar nervosos e isso é bom, pois prova que todos estão concentrados. Um erro pode ser fatal”, completou.

Com a derrota para o Vasco, o Atlético-PR foi ultrapassado pelo Santos, que confirmou o título de 2004 na rodada seguinte, justamente contra o Gigante da Colina, já livre do Z-4.

PARA ESCALAR O TIME, TÉCNICO TEM PLANO B

Com a grande possibilidade de Rafael Silva ter sua suspensão confirmada pelo STJD e ficar fora da partida de amanhã com o Corinthians, o técnico Jorginho já pensa em um plano B para escalar o Vasco.

Leandrão é o favorito para voltar ao time titular, mas, na Colina, há a esperança de contar — mesmo que as chances sejam pequenas — com o retorno de Jorge Henrique, machucado. No meio, Serginho deve sair para o retorno de Bruno Gallo.