Jorginho acredita na reação do Vasco e conta com o apoio da torcida em casa

Treinador cruzmaltino ressalta a importância da vitória sobre o líder Corinthians, nesta quinta-feira, para fugir da degola

Por O Dia

Rio - O Vasco ainda vive uma situação delicadíssima no Campeonato Brasileiro. Fugindo do rebaixamento, o Cruzmaltino sabe que terá pela frente uma prova de fogo nesta quinta-feira, já que enfrentará o líder Corinthians, em São Januário, às 22h. Ciente de que precisa da vitória, o técnico Jorginho sabe que ainda terão mais três desafios pela caminho para saber qual será o futuro da equipe carioca na competição.

"É um jogo muito importante, mas não acaba tudo aqui. A gente pode continuar vivo. Claro, são três jogos. Mas temos que estar muito cientes dessa situação. Os jogadores têm que estar muito atentos em relação a isso. É um jogo extremamente importante, mas não vai decidir nossa permanência. Claro, em caso de vitória, a gente pode até sair da zona de rebaixamento, mas não define", afirmou.

Jorginho conta com o apoio da torcida vascaína nesta quinta-feira, em São JanuárioPaulo Fernandes/Vasco.com.br

Questionado sobre as escalações de Bruno Gallo e Rafael Silva, que teve seu julgamento adiado pelo STJD, Jorginho fez mistério: "Não posso confirmar se o Gallo volta, não vou falar sobre essa situação. A gente treinou de algumas formas essa semana, até sem o Rafael. Como ele está liberado, com certeza joga. A importância dele é muito grande. Quando está em campo, não falta chute, ele sempre arrisca. Tem sido muito importante para a equipe".

Esperançoso pela reação vascaína nessa reta final do Brasileirão, Jorginho falou com carinho da torcida, que tem apoiado o time, apesar da atual situação. O técnico afirmou que espera poder contar mais uma  vez com o apoio do torcedor cruzmaltino, que comparecerá em peso em São Januário. 

"O nosso torcedor, que tem ido ao estádio, não vimos em nenhum momento vaias para a equipe, mesmo em situações difíceis. O torcedor apoiou o tempo todo. Agora temos que unir todas as forças. É um papel importante do torcedor, de sempre acreditar, que joga junto. Tem atletas que não estão nem aí, mas têm outros que precisam desse incentivo. ", finalizou.