Jorginho diz que o clima está tranquilo e garante retorno do Vasco à Série A

Técnico evitou aumentar o momento de pressão que o Cruzmaltino vive

Por O Dia

Rio - O momento no Vasco é de pressão. Há seis jogos sem vitória, o Cruzmaltino precisa vencer o Oeste para dar a volta por cima e reagir na Série B. Esta também será a oportunidade do time voltar à liderança da competição. Confiante, Jorginho fastou o clima de tensão na Colina.

"O desgaste só existe quando perdemos. Ninguém estaria falando disso se estivéssemos ganhando. Vocês não puderam acompanhar o treinamento hoje, mas foi um clima super descontraído. Mas quando acontece de nós perdermos, começa esse zunzunzun. Cada um fala uma coisa, de repente tem gente que não gosta de mim e fala isso. Não tenha dúvida de que vamos subir. Não há a menor hipótese de permanecermos na Segunda Divisão", definiu Jorginho.

As atividades desta manhã, em São Januário, foram fechadas. Com isso, ainda há dúvidas sobre o time que Jorginho deverá escalar para o próximo jogo. Apesar disso, o técnico tratou de minimizar a opção por não permitir o acesso ao treino.

"Essa questão do treino fechado já é uma cultura do Vasco. Até antes de eu chegar aqui, já era uma coisa natural. Isso se transformou um pouco com a questão dos celulares, das mídias. O Dutra vai jogar, time ofensivo. Não quer dizer que não teremos responsabilidade defensiva", disse.

O Vasco, vice-líder da Série B, com 41 pontos, enfrenta o Oeste no sábado, às 16h30, em São Januário.

"Não vou deixar que uma desconfiança atinja o grupo. Temos que saber lidar com as vaias. A questão do futebol é uma paixão. Momento totalmente à parte. Não vou entrar na política, mas tem que vaiar mesmo. No futebol é isso também. O mais importante é termos a certeza de que estamos fazendo o melhor. Temos de saber trabalhar. O que nós esperamos é que o torcedor jogue junto. Eles já demonstraram isso em alguns momentos difíceis. Sabemos que sempre tem um ou outro que vai vaiar. O torcedor vascaíno está sempre nos apoiando. O mais importante é que a gente entre com determinação, atento, ligados, para que possamos surpreender o adversário", concluiu.