Ex-rivais atacam de novo e Vasco perde para o Cruzeiro em Volta Redonda

Gigante não consegue ser efetivo como mandante sem São Januário

Por O Dia

Rio - Atuando no Raulino, o Vasco voltou a ser derrotado no Brasileirão. Pela segunda vez na semana, a equipe carioca perdeu como mandante. Nesta quinta-feira, o algoz foi o Cruzeiro, que fez 3 a 0 no time de São Januário.

Dois gols da partida foram marcados por ex-jogadores de clubes rivais do Vasco. Thiago Neves, com passagem pelo Fluminense e pelo Flamengo, e Sassá, revelado pelo Botafogo, fizeram para a Raposa. Robinho fechou o marcador.

Na última segunda-feira, o clube carioca perdeu para o Atlético-PR, no Raulino de Oliveira, com um gol marcado pelo atacante Ribamar, que foi revelado pelo Botafogo.

Na próxima rodada, o Gigante vai enfrentar a Ponte Preta, em Campinas. Já a equipe mineira fecha a sua participação no turno contra outro carioca, o Botafogo, no Mineirão. Ambos os jogos acontecem no domingo.

Vasco foi derrotado pelo Cruzeiro no RaulinoPaulo Fernandes/Vasco.com.br/Divulgação

O JOGO

Há quatro jogos sem vencer no Brasileirão, o Cruzeiro entrou em campo pressionado nesta quinta e nem deu tempo do Vasco tomar a iniciativa, como mandante da partida. Aos 2 minutos, Thiago Neves já batia falta, um tanto despretensiosa, e assistia a bola passar por todo mundo e morrer no fundo das redes.

A situação ficou mais complicada aos 18 minutos, quando Rafael Marques protagonizou lance desastrado ao tentar marcar Sassá dentro da área. Levantou o pé alto demais e acertou no rosto do atacante. O árbitro confirmou a penalidade e o próprio Sassá converteu, em chute no canto direito de Martín Silva.

O Vasco tentou reagir rapidamente. Em cobrança de escanteio, aos 20, Wagner subiu na segunda trave e mandou rente ao gol. Exibindo falta de ritmo, o meia percorria quase todo o ataque, mas não conseguia fazer o Vasco surpreender na armação. Paulinho jogava isolado no ataque e Paulo Vitor sofria com a marcação.

Diante destas limitações, o técnico Milton Mendes promoveu a primeira mudança ainda aos 26 minutos de jogo. Thalles entrou no lugar de Wellington para tentar movimentar o setor ofensivo.

O segundo tempo começou com o Cruzeiro novamente no ataque. Desta vez, Rafael Marques salvou o time carioca ao tirar a bola em cima da linha, em chegada perigosa de Bryan dentro da área, aos 9 minutos. Na sequência, Martín Silva foi exigido ao espalmar bola que quase pegou no travessão, e finalização sem ângulo da direita.

Milton Mendes, então, reconheceu as dificuldades de Wagner em campo e colocou Andrés Ríos. Do outro lado, Mano Menezes promoveu o retorno de Robinho, afastado há cerca de um mês por causa de lesão. Também colocou Rafael Sóbis, que passou mal no vestiário após o empate sem gols com o Vitória, no domingo.

As mudanças mantiveram o Cruzeiro no domínio da partida. Robinho entrou melhor e, aproveitando a pressão da torcida sobre os jogadores vascaínos, anotou o terceiro gol cruzeirense aos 42 minutos. Com apenas um drible, tirou dois marcadores do lance e bateu na saída do goleiro vascaíno dentro da área.

Na próxima rodada, os dois times voltarão a campo no domingo. O Cruzeiro vai receber o Botafogo no Mineirão às 16 horas. O Vasco vai visitar a Ponte Preta em Campinas às 19 horas.

FICHA TÉCNICA
VASCO 0 X 3 CRUZEIRO

Local: Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Renda/Público: -
Cartões amarelos: Rafael Marques, Gilberto, Paulo Vitor (VAS); Lucas Silva (CRU)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Thiago Neves, aos 2 minutos do primeiro tempo (CRU); Sassá, aos 18 minutos do primeiro tempo (CRU); Robinho, aos 42 minutos do segundo tempo (CRU)

Vasco: Martín Silva, Gilberto, Rafael Marques, Lucas Rocha e Henrique (Manga Escobar); Jean, Wellington (Thalles), Escudero, Wagner (Andrés Rios) e Paulinho; Paulo Vitor/ Técnico: Milton Mendes

Cruzeiro: Fábio, Lucas Romero, Léo, Murilo e Bryan; Henrique, Lucas Silva, Elber (Robinho), Rafinha e Thiago Neves (Rafael Sóbis); Sassá (Raniel)/ Técnico: Mano Menezes

Com informações do Estadão Conteúdo