Candidato do Vasco chama Flamengo de 'mulambo' e revolta rubro-negros

Eleições no clube de São Januário vão acontecer no mês de novembro

Por O Dia

Rio - Um dos possíveis rivais de Eurico Miranda no pleito de novembro para a presidência do Vasco, Alexandre Campello, causou polêmica na apresentação do seu plano de gestão nesta segunda-feira, em um cinema da Barra da Tijuca, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro. O presidenciável comparou o atual presidente do clube com o ícone do Nazismo, Adolf Hitler, e ao utilizar um gráfico sobre receitas utilizou o termo "mulambo" para se referir ao Flamengo.

Alexandre Campello é candidato a presidência do VascoDivulgação

Campello utilizou imagens de Power Point para detalhar os valores das marcas dos principais clubes do Brasil. Ele mostrou que o Vasco vem descendo nos últimos anos em relação aos outros clubes. Durante a apresentação, ele não se referiu ao Flamengo com o termo pejorativo, marcado apenas na imagem.

"É importante começar pensando na marca. Desde 2009 há estudos em relação às marcas das 40 maiores equipes do Brasil, e aí, quando se pensa em marca, há duas coisas intrinsecamente ligadas: como o público te enxerga e como você se comunica com esse público. É fundamental que se trabalhe com inteligência para alavancar a marca e ela cresça. O Vasco ocupa hoje a decima posição. Nosso arquirrival tem uma marca que hoje equivale a quase R$ 1,7 bilhão. O Vasco caiu de R$ 440 milhões para 382 milhões", detalhou no evento transmitido ao vivo no Facebook.

Power Point do candidato se referiu ao Flamengo como 'mulambo'Reprodução Internet

Durante a sua apresentação, Campello ainda utilizou um vídeo de uma paródia do filme: "A queda: as últimas horas de Hitler". Nele, Eurico Miranda foi comparado ao chanceler da Alemanhã na Segunda Guerra Mundial. 

Alexandre Campello ainda mantém conversas de unificação com o grupo político de Julio Brant, outro candidato de oposição do Vasco. Além deles, Fernando Hora, presidente da Unidos da Tijuca, já foi anunciado como candidato a presidência do clube.

Os torcedores do Flamengo não gostaram nada da expressão e colocaram a boca no trombone nas redes sociais: