Por marta.valim

LONDRES - O Estado britânico prosseguiu nesta quarta-feira com a privatização do Lloyds Banking Group (LBG), que recebeu um resgate durante a crise financeira de 2008, ao vender 7,8% de seu capital por 4,2 bilhões de libras (6.9 bilhões de dólares).

Após a operação, o Estado, que iniciou o processo de venda de sua participação no LBG em setembro do ano passado, possui 24,9% do capital do banco.

As ações foram vendidas a 75,5 pence cada. O governo anunciou na terça-feira a intenção de vender 7,5%, mas disponibilizou um pouco mais do que o previsto.

"Posso confirmar esta manhã que vendemos outros 4,2 bilhões de libras de ações do Lloyds Banking Group a 75,5 pence por ação, o que reduz a parte do contribuinte a menos de um quarto (do capital) do banco. É um bom negócio para o contribuinte e o dinheiro será utilizado outra vez para reduzir a dívida nacional", declarou o ministro das Finanças, George Osborne.

O Estado britânico, que tinha inicialmente 39% do banco, vendeu em setembro 6% do grupo por 3,21 bilhões de libras (5,3 bilhões de dólares).

O Lloyds Banking foi parcialmente nacionalizado em 2008 ao lado do Royal Bank of Scotland (RBS), do qual o Estado ainda possui quase 80%.

A reestruturação do LBG foi mais rápida que a do rival escocês. O LBG reduziu as perdas ano passado e o lucro ajustado disparou 140%, a 6,166 bilhões de libras.

Você pode gostar