Por monica.lima

Para ajudar a reverter o momento de alta da inadimplência do consumidor, vários feirões de renegociação de dívidas estão sendo realizados no país. Aliado aos altos níveis de endividamento, a necessidade de aumentar o poder de compra do consumidor para as festas de fim de ano e o pagamento do 13º salário, tornam o momento propício para fazer acordos. Segundo o Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor, de janeiro a setembro de 2014, a inadimplência fechou com elevação de 4,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, a Serasa aponta que cerca de 40% da população adulta do país, com mais de 18 anos, está inadimplente hoje.

Os feirões acontecem meses depois do Banco Central (BC) registrar inúmeras reclamações por não terem conseguido renegociar ou quitar dívidas. De acordo com BC, somente em junho, nove clientes registraram reclamações no órgão por não terem conseguido fazer a liquidação antecipada. Além desses, 160 clientes bancários reclamaram de ter sido negada injustificadamente a portabilidade de crédito consignado. Mais 26 reclamações foram feitas relacionadas à portabilidade de operações de crédito. Já a Associação de Consumidores Proteste recebeu 134 reclamações de consumidores relacionadas a dificuldades para quitação antecipada de débitos, nos últimos 12 meses.

Segundo o advogado e sócio do Grupo Cercred, Leonardo Coimbra, uma das maiores empresas de recuperação de crédito do Brasil, 90% das pessoas que renegociam dívidas nos feirões conseguem cumprir com os novos acordos até o fim. “Temos um perfil de clientes que participam desses eventos. Geralmente são pessoas que ficaram endividadas nos últimos anos com financiamentos de automóveis, cartão de crédito e cheque especial. Dentro desse perfil encontramos vários tipos de dívidas, que variam entre R$ 600 a R$ 50 mil”, afirma.

Para o superintendente do SerasaConsumidor, Júlio Leandro, os feirões acontecem em momento oportuno para aliar as necessidades do consumidor e do credor. “Promovemos o feirão como uma forma de criar um diálogo do mercado com os consumidores. O momento é o melhor possível, pois as parcelas dos 13º salários estão sendo pagas e o consumidor está afim de ficar livre das dívidas. A renegociação trabalha com novos prazos, juros e parcelas. Na última edição, tivemos descontos de até 95% nas dívidas”, afirma.

Aberto desde a última terça-feira, dia 04, o Super Feirão Limpa Nome da Serasa acontece no ambiente online e presencialmente, em São Paulo. Ao todo, 44 empresas de vários segmentos — financeiras, varejo e serviços — participam do evento, entre elas Bradesco Cartões, Cartões American Express, Recovery, Banco Pan, HSBC, Santander, Eletropaulo, Carrefour, Itaú e Losango.

Os organizadores do evento tem a expectativa de movimentar mais de 20 mil consumidores na edição presencial e mais de três milhões no ambiente online. A Serasa ainda espera atingir um volume de renegociações maior do que no ano passado, quando as dívidas renegociadas somaram R$ 400 milhões.

Outro feirão acontece entre os dias 2 e 6 de dezembro, promovido pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Além de São Paulo, a edição 2014 do “Acertando suas Contas” acontece em cinco cidades. Quatro delas no interior de São Paulo – Rio Claro, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Registro – e também em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul.

Nesta edição, além do atendimento especializado, para em orientar sobre como devem proceder para a renegociação da dívida, o evento ainda apresenta palestras para oferecer dicas de orçamento e planejamento financeiro. “Crédito é bom, mas precisa ser usado corretamente para estar sempre disponível, pois contribui para a melhoria de vida e a inclusão social dos brasileiros”, conclui o presidente da Boa Vista SCPC, Dorival Dourado.

Você pode gostar