Papéis da Vale impulsionaram Ibovespa

Sessão foi marcada pela volatilidade e índice fechou em alta de 0,48%. Mineradora ganhou causa no STJ

Por O Dia

São Paulo - O Ibovespa operou durante toda a sessão com volatilidade, mas firmou posição em campo positivo nos últimos instantes do pregão, puxado pela ação da Vale. O índice terminou em alta de 0,48%, para os 51.817 pontos. O giro financeiro foi de R$ 5,8 bilhões.

As ações preferenciais da mineradora dispararam pouco antes das 17h, quando foi anunciado o último voto no Supremo Tribunal de Justiça (STJ), o que confirmou a vitória da companhia no recurso que julgava a cobrança de impostos sobre o lucro das empresas controladas no exterior. A ação VALE5 terminou com ganhos de 1,62%.

“A Vale já havia sinalizado que, caso saia vitoriosa do processo, vai pedir a devolução do Refis”, dizia análise da Magliano Corretora. A dívida de R$ 22 bilhões referente ao pagamento de Imposto de Renda de empresas controladas no exterior foi paga no final do ano passado após a mineradora ter aderido ao Programa de Recuperação Fiscal (Refis). O resultado do quarto trimestre sofreu impacto do pagamento e houve prejuízo de R$ 14,868 bilhões.

De acordo com a assessoria do STJ, foi uma vitória parcial, pois dos quatro países em que a tributação é discutida, apenas o recurso para três foi aceito - Luxemburgo, Dinamarca e Bélgica– por conta do acordo de bitributação que as nações têm com o Brasil. Bermudas, por não ter firmado tal acordo, estaria fora da decisão.

Além disso, o Ministério da Fazenda ainda tem a possibilidade de recorrer ao Supremo Tribuinal Federal se o procurador responsável pelo caso entender que há uma inconstitucionalidade no processo.

O setor financeiro também foi destaque positivo na sessão após o Bradesco, segundo maior banco do país, ter apresentado lucro líquido de R$ 3,4 bilhões no primeiro semestre - avanço de 18% em relação a igual período do ano passado. Os papéis preferenciais (BBDC4) subiram 1,82%.

Na ponta negativa, figuraram as ações da Usiminas (USIM5) com queda de 5,58%. Apesar de a siderúrgica ter revertido prejuízo ao apresentar lucro líquido de R$ 222 milhões nos três primeiros meses do ano, a própria companhia espera que a venda de laminados (seu principal produto) não deve aumentar no segundo trimestre como reflexo de uma provável queda na produção de veículos do país.

Estados Unidos

A tensão na Europa entre Ucrânia e Rússia voltou a ganhar peso na decisão do investidor nesta semana. As bolsas americanas operaram em terrenos opostos durante toda a sessão, mas caminhavam para fechamento em alta. Na agenda de indicadores, o destaque foi para o número de pedidos de auxílio desemprego, que subiu na última semana. Por outro lado, as encomendas de bens duráveis subiram 2,6% em março, o que mostra recuperação da indústria.

Por volta das 18h15, o Dow Jones operava neutro, o S&P tinha alta de 0,17% enquanto o Nasdaq subia 0,52%.

Câmbio

No mercado cambial, o dólar caiu 0,46% e fechou cotado a R$ 2,216.

Últimas de _legado_Notícia