Ibovespa cai 0,78% pressionado por Petrobras e bancos

Principal índice da bolsa brasileira deve continuar o movimento de correção nas próximas sessões

Por O Dia

A perspectiva pelo crescimento menor da economia neste ano somada ao desempenho negativo das bolsas americanas contribuiu para espalhar cautela entre os investidores e o Ibovespa amargou queda de 0,78%, para 54.210 pontos nesta segunda-feira. Em uma sessão mais curta por conta do jogo do Brasil, que enfrenta a seleção de Camarões, às 17h, o giro financeiro somou R$ 3,2.

Vale PN subiu 1,71% com recuperação da indústria da ChinaAgencia Vale

Os economistas consultados pelo Banco Central (BC) rebaixaram, pela quarta vez consecutiva, a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2014, para 1,16%. Há um mês, a previsão era avanço de 1,63%. O boletim Focus apontou ainda manutenção da estimativa para a inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 6,46% para o fim do ano - número bem próximo do teto da meta estabelecida pelo governo de 6,5%.

Em meio a esse cenário mais pessimista pra a economia, Petrobras PN, que acumula alta de 14,34% no mês, devolveu parte dos ganhos ao recuar 1,87%. Os papéis dos bancos também pressionam o Ibovespa. Bradesco PN recuou 0,64%, Itaú PN caiu 0,74% e Banco do Brasil ON teve queda de 1,05%.

Na ponta positiva, Vale PN impediu um tombo maior do índice ao subir 1,71% como reflexo de dados positivos da indústria da China. O Índice Gerente de Compras preliminar do gigante asiático (PMI, na sigla em inglês), medido pelo HSBC, mostrou expansão em junho pela primeira vez no intervalo de seis meses.

Para o estrategista da Futura Invest Adriano Moreno, a expectativa é que o Ibovespa siga o movimento de correção técnica nas próximas sessões, com as pesquisas eleitorais no radar. “O mercado está realizando, mas não tem espaço para cair abaixo dos 54 mil pontos, que é um ponto de equilíbrio da bolsa”, disse.

Estados Unidos

Os principais índices americanos operam no vermelho mesmo após as vendas de moradias usadas ficarem acima do esperado em maio, com alta de 4,9%. No entanto, o mercado seguiu o movimento das bolsas da Europa, que operavam em baixa pressionadas pela tensão no Iraque e pelo desempenho pior que o esperado da indústria da Zona do Euro em junho. Por volta das 14h50, o Dow Jones caía 0,21%, o S&P recuava 0,16% e o Nasdaq perdia 0,15%.

Dólar

No mercado de câmbio, o dólar terminou em queda de 0,59%, cotado a R$ 2,218 na venda. 

Últimas de _legado_Notícia