Por parroyo

O resultado das pesquisas eleitorais divulgadas na quarta-feira esfriou o entusiasmo do mercado, que esperava Marina Silva (PSB) à frente de Dilma Rousseff (PT) já no primeiro turno. O movimento vendedor prevaleceu na sessão, principalmente em relação aos papéis das estatais, e o Ibovespa terminou em queda de 1,68%, aos 60.800 pontos. O giro financeiro foi de R$ 8,8 bilhões.

Mesmo sem mudanças significativas na corrida eleitoral – o Ibope mostrou que, em relação às intenções de voto para o primeiro turno, Dilma subiu três pontos (de 34% para 37%), enquanto Marina avançou quatro pontos – de 29% para 33%, os investidores aproveitaram para realizar os lucros. “Isso frustrou a expectativa de que a Marina poderia ganhar já no primeiro turno. Com o atual desempenho do Ibovespa (avanço de 18,4% no ano), os investidores ficam receosos em continuar comprando. O índice estava pedindo uma realização para abrir novas oportunidades”, pontuou o gerente de renda variável da corretora H.Commcor, Ariovaldo Santos.

Para o analista da Clear Corretora Raphael Figueredo, a partir da perda do patamar de 60.930 pontos, o índice deve buscar o suporte dos 58 mil pontos sem comprometer a tendência de alta. Em relação às eleições, vale destacar que o Ibope apontou a vitória de Marina no segundo turno sobre a atual presidenta, por sete pontos de diferença. O Datafolha, que também divulgou novo levantamento ontem, mostrou empate técnico entre as candidatas no primeiro turno e confirmou Marina à frente no segundo turno com os mesmos sete pontos de vantagem do Ibope.

Na sessão desta quinta-feira, Fibria ON disparou 6,20% e ficou à frente dos ganhos, seguida por Suzano PNA, com avanço de 4,30%. O desempenho das ações das produtoras de celulose de eucalipto foi incrementado com a expectativa de redução na produção mundial do insumo, o que resultaria na alta dos preços.

Na ponta negativa, Banco do Brasil ON liderou as perdas ao recuar 5,77%, seguida pelos papéis da Petrobras: o ordinário perdeu 4,52% e o preferencial teve queda de 4,47%. Eletrobras ON, na sequência, recuou 3,99%.

Nos Estados Unidos, o indicador ADP mostrou que as empresas do país contrataram menos que o esperado em agosto. Além disso, o número de pedidos de auxílio desemprego aumentou mais que o previsto na última semana. Os dados mais fracos do mercado de trabalho alimentam a expectativa de que o relatório geral de emprego do país, o Payroll, a ser divulgado nesta sexta-feira, venha abaixo da estimativa média dos analistas, que esperam a criação de 248 mil novos postos de trabalho no mês passado.

O Payroll é um dos principais indicadores que vai balizar a decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) sobre o possível adiantamento da alta da taxa básica de juro, para o primeiro semestre de 2015. Um dado mais fraco do relatório distanciaria essa expectativa.

Em meio ao cenário, os investidores mostraram cautela e as bolsas terminaram no vermelho. O Dow Jones recuou 0,05%, o S&P perdeu 0,15% e o Nasdaq teve queda de 0,22%.

No mercado de câmbio, o dólar avançou 0,32%, cotado a R$ 2,243 na venda.

Você pode gostar