Ibovespa esboça recuperação ao subir 0,24%

Movimento vendedor deu trégua e índice quebra a sequência de seis quedas seguidas. Entretanto, a indefinição do mercado deve continuar até a eleição

Por O Dia

Após seis pregões consecutivos de queda, o Ibovespa sinaliza recuperação nesta quinta-feira ao fechar em alta de 0,24%, aos 58.337 pontos, puxado pelas ações das estatais. O giro financeiro somou R$ 5,9 bilhões – abaixo da média de R$ 6,4 bilhões verificada nos últimos 21 dias. De acordo com analistas e operadores, o recuo no montante de negócios reflete a indefinição do mercado, que acompanha a incerteza da corrida eleitoral.

De acordo com Luis Morato, operador da corretora Tov, a melhora na sessão de hoje se deu por conta da pesquisa Datafolha, divulgada na noite de quarta-feira, que apontou Marina Silva (PSB) tecnicamente empatada com Dilma Rousseff (PT) em um eventual segundo turno - com 47% e 43% das intenções de voto, respectivamente. “O mercado especulava que a petista poderia tomar à frente, isso explica a leve alta de hoje”, disse. Vale destacar que o Ibope pode divulgar a partir de hoje um novo levantamento.

Para Morato, a dinâmica do Ibovespa é simples: se Marina avançar nas pesquisas, o índice sobe em busca dos 65 mil pontos. Se Dilma mostrar força, a tendência é de queda. “Ontem, o índice testou a faixa dos 58 mil e defendeu o patamar, o que deu certa confiança para o investidor que está comprado manter a posição”, destacou. O analista da Geral Investimentos Filipe Machado lembra que, mesmo com o movimento realização de lucros no Ibovespa em setembro (quando o índice acumula queda de 4,8%), o investidor estrangeiro continua comprado.

À frente dos ganhos, JBS ON subiu 6,91%. Na outra ponta, Cemig PN recuou 3,18%. Entre as estatais, Petrobras PN avançou 1,24%; Banco do Brasil ON teve alta de 0,72% e Eletrobras ON elevou 0,54%.

Nos Estados Unidos, a tensão geopolítica segue no radar dos investidores após o presidente Barack Obama ter prometido mais ataques aéreos aos extremistas do Iraque e da Síria. Além disso, o mercado especula sobre uma possível antecipação da alta da taxa básica de juro, para o primeiro semestre de 2015, que o Federal Reserve (Fed, o Banco Central norte-americano) pode sinalizar na semana que vem após a reunião do comitê de política monetária. Entre os indicadores econômicos, o número de pedidos de auxílio desemprego cresceu na última semana e somou 315 mil.

Em meio ao cenário, os principais índices de Wall Street fecharam em direções opostas. O Dow Jones caiu 0,12%, o S&P avançou 0,09% e o Nasdaq teve alta de 0,12%.

Últimas de _legado_Notícia