Por parroyo

A expectativa de que o programa de estímulo anunciado pelo Banco Central Europeu (BCE) não seja suficiente para reanimar a economia da Zona do Euro contribui para o fraco desempenho das bolsas externas, que operam no vermelho. No Brasil, o Ibovespa segue a tendência negativa e, embora os investidores continuem com a eleição no radar, os papéis da Petrobras amenizaram a queda e aliviam as perdas do índice que, por volta das 13h, caía 0,36%, aos 52.667 pontos.

Estão previstas a divulgação de novos levantamentos do Ibope e do Datafolha, que podem mostrar o crescimento de Dilma Rousseff e, por consequência, maior chance de reeleição da presidenta já no primeiro turno. À noite, acontece o último debate entre os presidenciáveis na TV Globo, que pode influenciar os indecisos e o resultado final da eleição.

À frente dos ganhos, CCR ON subia 3,68%. Na contramão, OI PN perdia 6,59%. Entre as estatais, Petrobras PB caía 0,59%, Eletrobras ON desvalorizava 1,90% e Banco do Brasil ON tinha queda de 2,53%.

Nos Estados Unidos, após os dados fortes do mercado de trabalho no setor privado, anunciados ontem, o número de pedidos de auxílio desemprego mostraram queda na última semana, para 287 mil solicitações, o que mostra que o mercado de trabalho pode estar se fortalecendo. O número reforça a expectativa pela melhora do relatório geral de emprego do país, Payroll, que será conhecido amanhã.

Entretanto, as bolsas operam em campo negativo em meio à avaliação do mercado que o programa de estímulo do Banco Central Europeu (BCE) não será suficiente para reanimar a economia da Zona do Euro. Por volta das 13h, o Dow Jones caía 0,63%, o S&P tinha queda de 0,55% e o Nasdaq recuava 0,61%.

No mercado de câmbio, o dólar tinha leve alta de 0,16%, cotado a R$ 2,489 na venda.

Você pode gostar