Por parroyo

A reação do mercado à reeleição de Dilma Rousseff é de cautela. Conforme o previsto, o movimento vendedor prevalece no Ibovespa, que é pressionado pelos papéis das estatais e chegou a cair mais de 6% na mínima do dia. Por volta das 13h, o índice recuava 2,98%, aos 50.392 pontos. No mesmo horário, o dólar disparava 2,67%, cotado a R$ 2,52 na venda.

No discurso após a vitória, Dilma afirmou que antes mesmo da posse, vai promover ações focadas na economia. A expectativa dos investidores se volta agora para a escolha do novo ministro da Fazenda. Nelson Barbosa, o ex-secretário da Fazenda, foi cotado para a pasta e, De acordo com analistas, é um nome que agrada ao mercado. “O tom do discurso de ontem foi conciliador, tentado mostrar que estará disposta a dialogar com os diversos setores da sociedade”, avaliou a Guide Investimentos, em nota.

À frente das perdas,Petrobras PN recuava 14,05%, seguida por Eletrobras ON, com queda de 12,66%. Banco do Brasil ON, por sua vez,  caía 7,73%. Na ponta positiva Estácio ON avançava 7,82%. 

Na agenda, o Boletim Focus manteve a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 0,27% neste ano. Os economistas consultados pelo Banco Central também não alteraram nem a perspectiva para a inflação, medida pelo IPCA, que ficou em 6,25% nem a expectativa para dólar, que deve terminar 2014 cotado a R$ 2,40.

Nos Estados Unidos, as bolsas em direções opostas pressionadas pelo setor de energia, que reflete a queda no preço do petróleo no mercado internacional. Por volta das 15h, o Dow Jones subia 0,03%%, o S&P perdia 0,20% e o Nasdaq recuava 0,02%.

Você pode gostar