Por parroyo

Após subir mais de 4% na sexta-feira, o Ibovespa começa o mês de novembro no vermelho, pressionado pelos papéis de empresas ligadas às commodities e pela Petrobras. Por volta das 15h, o principal índice da Bovespa caía 2,27%, aos 53.386 pontos.

Ações preferências da petrolífera recuavam 3,93% em um movimento que reflete o adiamento da reunião do conselho para discutir o reajuste dos combustíveis, que deve ser retomada na terça-feira.

Os papéis da Vale, por sua vez, recuavam 2,18% após dados fracos da indústria e do setor de serviços na China, o que pressionou ainda mais o preço do minério de ferro no mercado internacional - o valor da commodity caiu 0,90%, cotada a US$ 77,50 a tonelada. À frente dos ganhos, Qualicorp subia 2,50%. Na outra ponta, Duratex caía 7,53%.

Na agenda, os economistas consultados pelo Banco Central reduziram a projeção do crescimento da economia para 0,24% neste ano. O Boletim Focus apontou ainda a manutenção da expectativa de inflação em 6,45% no fim de 2014.

Nos Estados Unidos, os principais índices operavam em direções opostas em meio à expectativa por sinalizações do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) sobre a data de incremento dos juros. Por volta das 13h, o Dow Jones caía 0,12%, o S&P tinha leva alta de 0,11% e o Nasdaq subia 0,33%.

No mercado de câmbio, o dólar subia 1,08%, cotado a R$ 2,506 na venda.

Você pode gostar