Ibovespa cai pressionado por bancos e Petrobras

Estatal atrasa pagamento de PLR aos funcionários e ação cai mais de 3,5%. Bancos podem ter de aumentar as provisões de calote como reflexo da operação Lava Jato

Por O Dia

Na contramão das bolsas europeias, que operam em alta, puxadas pela expectativa de novos estímulos na Zona do Euro, o Ibovespa trabalha no vermelho nesta segunda-feira pressionado pelas ações dos bancos e da Petrobras. Por volta das 13h, o principal índice da Bovespa perdia 1,54%, aos 48.087 pontos.

Itaú PN recuava 1,93%, enquanto Bradesco PN tinha queda de 1,58%. Na semana passada, a agência de classificação de risco Fitch avaliou que as instituições financeiras podem ter de reforçar suas provisões para crédito como consequência das investigações da operação Lava Jato. À frente das perdas, Oi ON desvalorizava 4,85%. Na contramão, Eletrobras PNB subia 2,36%.

As ações da Petrobras, por sua vez, operam voláteis – as preferenciais recuavam 2,98% e as ordinárias caiam 3,77%. A estatal atrasou o pagamento do PLR aos funcionários por conta da não divulgação do balanço. Uma reunião do Conselho de Administração da Companhia, para discutir esse e outros assuntos, está marcada para esta segunda-feira.

Na agenda, o Boletim Focus diminuiu a projeção de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano de 0,5% para 0,4%. Já a perspectiva para inflação (IPCA) foi elevada de 6,56% para 6,6% no fim de 2015.

Nos Estados Unidos, os índices acionários abriram no vermelho pressionados pelo setor de Óleo e Gás, uma vez que o preço do barril petróleo está cotado abaixo de US$ 50. Por volta das 13h, o Dow Jones caía 0,69%. Já na Europa, as bolsas sobem em meio à expectativa de que o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, implemente um programa de compra de títulos semelhante ao do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

No mercado de câmbio, o dólar sobe 1,08%, cotado a R$ 2,66 na venda.





Últimas de _legado_Notícia