Ibovespa perde os 50 mil pontos após dado forte de emprego nos EUA

Fortalecimento do mercado de trabalho alimenta a expectativa de que o Fed suba os juros no meio do ano. Dólar dispara, cotado a R$ 3,05

Por O Dia

O Ibovespa aprofunda as perdas nesta sexta-feira após a divulgação dos dados de emprego dos Estados Unidos. Por volta das 13h, o principal índice da Bovespa  caía 0,84%  e deixava para trás o patamar dos 50 mil pontos ao operar em 49.941 pontos, pressionado  principalmente pelas ações dos setores siderúrgico e financeiro.

À frente das perdas, Usiminas ON caía 3,73%. Itaú Unibanco PN perdia 2,53%, Bradesco PN tinha queda de 1.08% e Banco do Brasil ON desvalorizava 1,24%. Na ponta positiva, MRV ON avançava 5,31%. As ações da Petrobras, por sua vez, mostravam recuperação após abrirem no vermelho – as preferenciais tinham leve alta de 0,32%.

O mau humor do mercado reflete do dado do relatório geral de emprego dos Estados Unidos, o Payroll, que apontou a criação de 295 mil postos de trabalho formais em fevereiro, acima da previsão dos analistas, que esperavam 257 mil novas vagas. O fortalecimento do mercado de trabalho do país alimenta a expectativa de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) decida elevar a taxa de juros no meio do ano.

O aperto monetário aumenta o retorno dos títulos da dívida norte-americana, o que incentiva os investidores a alocarem os recursos na renda fixa. O reflexo dessa mudança deve ser sentido de maneira mais contundente nos países emergentes, pois a tendência é que haja uma fuga de capitais, de acordo com analistas. 

Além de questões externas, a bolsa brasileira ainda recua em função do risco político, uma vez que a presidente Dilma Rousseff tem dificuldades para dialogar com o Congresso, o que significa um entrave para o  corte de gastos proposto pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que prometeu enxugar as contas públicas para entregar um superávit primário (economia para pagar os juros da dívida) de 1,2% neste ano.

Dólar

No mercado de câmbio, o dólar operava em alta pela quinta sessão consecutiva, alavancado pelo dado de emprego dos Estados Unidos. Por volta das 13h, a moeda norte-americana subia 1,27%, cotado a R$ 3,05.

Últimas de _legado_Notícia