Bolsa sobe e dólar cai em dia de ajuste

Ibovespa avança 1,5% ao acompanhar desempenho dos índices dos EUA e moeda norte-americana recua, cotada a 3,22. Mas crise política segue no radar

Por O Dia

Na esteira do desempenho positivo das bolsas externas, o Ibovespa opera em forte alta nesta sexta-feira mesmo com a continuidade da crise política. Após a tensão entre o Palácio do Planalto e o PMDB, que culminou com a demissão do ministro da Educação Cid Gomes, a presidente Dilma Rousseff afirmou ontem que não pretende fazer uma reforma ministerial.

Por volta das 13h, o principal índice da Bovespa subia 1,51%, aos 51.724 pontos. No mesmo horário, o dólar caía 2,11%, cotado a R$ 3,22. Nesta manhã, as incertezas políticas levaram a moeda a ultrapassar a cotação de R$ 3,30, o que renovou o maior valor em 12 anos no intraday.

À frente dos ganhos, Estácio ON disparava 11,14% em movimento que reflete a declaração do presidente da companhia, Rogério Melzi, de que as mudanças no programa federal de financiamento ao ensino superior (Fies) devem criar oportunidades de fusão e aquisição da empresa. Na outra ponta, Tim ON perdia 3,82%.

Na agenda, a prévia da inflação de março medida pelo IPCA-15 desacelerou de 1,33% para 1,24%, mas o indicador subiu 7,9% no acumulado de 12 meses - percentual que estoura o teto da meta, de 6,5%.

Nos Estados Unidos, as bolsas avançam puxadas por resultados corporativos. Contribui ainda para o bom humor o fato de o primeiro ministro da Grécia, Alexis Tsipras, ter garantido, nesta sexta-feira, aos líderes da Zona do Euro que o país vai agir rapidamente para atender às demandas dos credores e evitar a falência.


Últimas de _legado_Notícia