Ibovespa opera no azul puxado por Petrobras

Mercado aguarda que estatal apresente os balanços atrasados de 2014 na reunião do Conselho desta quinta-feira

Por O Dia

Por volta das 13h, o Ibovespa tinha alta de 0,32%, aos 51.672 pontos, impulsionado pelas ações da Petrobras. Os papéis preferenciais da estatal se destacavam entra as maiores altas do dia, ao avançar 2,56%, como reflexo da expectativa de que os balanços atrasados de 2014 sejam apresentados na reunião do Conselho de Administração desta quinta-feira. Rumores apontam que a fórmula para calcular o montante dos desvios já teria sido aceita pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O principal índice da Bolsa operava no azul mesmo após nova derrota do governo no Congresso. A Câmara aprovou na noite de ontem a regulamentação da lei que reduz as dívidas em estados e municípios. A matéria, que segue para ser aprovada “sem problemas” no Senado, aumenta os gastos do governo e poderia ser considerada mais uma ameaça para o cumprimento do ajuste fiscal.

Entretanto, depois que a agência de classificação de risco S&P afastou o risco de “downgrade” da nota de crédito do Brasil e justificou a decisão com a confiança depositada na capacidade do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, de fazer os cortes necessários, o mercado avalia que a austeridade terá de ser protagonizada pela Fazenda, o que deve praticamente anular a dependência do Congresso para o ajuste fiscal.

À frente dos ganhos, Usiminas PNS tinha alta de 3,09%. Na contramão, Sabesp ON perdia 2,40%.

No mercado de câmbio, por volta das 13h, o dólar subia 1%, cotado a R$ 3,159 na venda. A desvalorização do real reflete a decisão do Banco Central (BC) de não prorrogar o programa de swap cambial, que começou em agosto do ano passado. No entanto, a autoridade monetária afirmou que poderá intervir no mercado quando necessário.

Últimas de _legado_Notícia