Por monica.lima

São Paulo - Com apenas dois anos e meio de existência, a Clear Corretora já tem pretensão de se tornar uma das corretoras mais importantes do país. Focada em operações day trade , de maior risco para o investidor, a Clear registrou o primeiro lucro líquido no ano passado, de R$ 3 milhões e, para este ano a projeção é R$ 10 milhões. O número de clientes chegou a 6 mil em 2014, e a meta, de 10 mil, já está perto de ser alcançada.

“Somente nos três primeiros meses do ano já fizemos (lucro líquido) mais do que todo o ano passado. Tem sido um crescimento espetacular. O número de clientes também vem crescendo exponencialmente e já alteramos nossa meta para algo em torno de 15 mil clientes. A Clear é uma corretora 100% online e focada em transações especulativas, as chamadas day trade”, explica um dos sócios fundadores Roberto Lee.

De acordo com o executivo, o sucesso da Clear se deve ao fato de a corretora atuar em um nicho de mercado ainda pouco explorado. Segundo ele, os clientes da corretora não são iniciantes, são pessoas que já têm alguma vivência no mercado e estão em busca de operações que possam trazer maior retorno, portanto, mais risco. “A gente trabalha com a parcela de capital mais sujeita a risco. Esse dinheiro, que tem valor nominal menor, está sendo direcionado para a Clear”, diz.

A Clear foi fundada em 2012 pelos também sócios Mauro Benatti, José Rosseto, João Procópio e Paolo Mason, a partir de um investimento de cerca de R$ 20 milhões. Em julho do ano passado, a XP Investimentos anunciou a aquisição de 100% da corretora. A operação ainda precisa ser aprovada pelo Banco Central. Lee acredita que a decisão final deve sair ainda este ano e garante que as duas marcas continuarão no mercado.

Entre as operações especulativas que são possíveis de serem acessadas via a plataforma da Clear, as estratégias de opções estruturadas são as mais procuradas. Essas operações permitem ao investidor realizar operações ou assumir posições de forma concomitante em diferentes mercados, modalidades ou vencimentos, de forma que na soma das diversas partes resulte o negócio desejado. Outro mercado que tem crescido é o de índice futuro de dólar. “Acho que o Brasil descobriu de verdade esses instrumentos, que já são super usados fora do país”, diz, acrescentando ainda que o atual momento de volatilidade que o mercado vem experimentando tem contribuído para a maior procura por este tipo de investimento. “Esses produtos têm uma boa liquidez, o investidor consegue entrar e sair muito rápido do mercado. O aumento dessas operações mostra que o cliente está amadurecendo”, diz.

Lee explica ainda que a Clear tem um posicionamento muito claro de uma corretora trader e não uma corretora volta para discutir o longo prazo. “A gente não trabalha com o leitinho das crianças, a gente trabalha com o dinheiro que tem aderência a risco”, diz, ressaltando que é feita uma identificação do perfil do cliente com compromisso muito forte de suitiability, para não captar dinheiro errado.

De acordo com Lee, não há um mínimo para operar na corretora e o cliente pode fazer alavancagem de até 25 vezes. “O cara coloca R$ 10 mil na clearing e pode operar ou se posicionar na Bolsa em até R$ 250 mil. Ele tem acesso a risco. Isso é bom, gera experimentação”, diz.

Por ser uma corretora 100% online, o executivo explica que o telefone não pode tocar. “Iniciamos um processo de guerra ao telefone. Quando o telefone toca a gente entende que algo não funcionou ou a gente não foi capaz de explicar o funcionamento de uma forma clara. Investimos muito em tutoriais”, diz, mas observando que também existe presença humana no atendimento. “Temos analistas que ficam 100% do pregão falando com os clientes, mas tudo através da internet, é a automação do relacionamento”, diz.

Preocupados em manter a eficiência do negócio, no início da semana a Clear disponibilizou para seus clientes, gratuitamente, uma das ferramentas mais utilizadas no mundo no segmento, a Meta Trader. “É uma espécie de robô, que até então era muito usado no mercado institucional, e que agora também está sendo usado pela pessoa física. A XP trouxe para o Brasil e a Clear também adotou. Somos as únicas corretoras no Brasil que têm esta ferramenta. É uma opção para mercados voláteis”, diz.

Lee diz que está de olho em oportunidades. “Precisa ter inovação envolvida e não precisa ser corretora, pode ser algum fornecedor de ideias, por exemplo”, diz.

Você pode gostar