Por marta.valim

O Conselho de Segurança da ONU se reunirá de emergência nesta sexta-feira para tratar da situação em Gaza, depois do início da operação terrestre israelense. A reunião deve começar a partir das 16H00 de Brasília, a pedido da Jordânia e Turquia.

O Conselho pediu a realização de uma investigação internacional independente e profunda sobre o avião malaio aparentemente derrubado por um míssil no leste da Ucrânia.

"Os membros do Conselho de Segurança pedem uma investigação independente internacional completa sobre o incidente, em consonância com as regras da aviação civil internacional para seu esclarecimento apropriado", afirma o corpo executivo das Nações Unidas em um declaração unânime.

Pelo menos 24 palestinos, incluindo três adolescentes e um bebê, morreram desde que Israel iniciou a ofensiva terrestre, quinta-feira à noite, em Gaza, o que eleva a 265 o número de palestinos mortos em 11 dias de conflito.

Um soldado israelense também morreu na ofensiva, a segunda vítima fatal do país desde o início das hostilidades.

Entre as vítimas palestinas, três adolescentes com idades entre 12 e 16 anos morreram ao meio-dia em um ataque com tanques israelenses perto de Beit Hanun, norte da Faixa de Gaza, segundo o serviço de emergência local.

Cinco pessoas, incluindo um bebê de cinco meses, também morreram na ofensiva israelense na cidade de Rafah (sul).

Segundo o Centro Palestino para os Direitos Humanos, com sede em Gaza, os civis representam mais de 80% das vítimas da ofensiva de Israel, que tem como objetivo impedir os lançamentos de foguetes do Hamas, que controla o território.

Pelo menos 1.920 palestinos ficaram feridos desde o início do conflito, em 8 de julho.

Além disso, pelo menos 1.164 foguetes foram lançados contra Israel desde o início das hostilidades. O sistema de defesa antimísseis do país interceptou 320 destes projéteis, segundo o exército israelense.

Você pode gostar