Por marta.valim

O governo britânico elevou de "substancial" a "severo" o grau de ameaça à segurança, o que significa que é "altamente provável" que ocorram atendados, anunciou nesta sexta-feira a ministra do Interior, Theresa May.

May disse que não tem informação sobre nenhum atentado iminente, mas justificou a decisão "pelos acontecimentos na Síria e no Iraque, onde grupos terroristas estão planejando atentados no Ocidente".

A escala de ameaça de atentados tem cinco graus e o "severo" é o segundo mais alto. A ameaça de atentados não era tão alta desde julho de 2011.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, deve participar na tarde desta sexta-feira de uma coletiva de imprensa na qual espera-se que forneça mais detalhes desta decisão.

A decapitação do jornalista americano James Folley por um integrante com sotaque britânico da organização Estado Islâmico na semana passada ativou todos os alertas em Londres.

"Isso é um veneno, um câncer, o que ocorre no Iraque e na Síria, e existe o risco de que se espalhe a outras partes da comunidade internacional e que afete a todos diretamente", disse na época o ministro das Relações Exteriores britânico, Philip Hammond.

Cameron expressou em muitas ocasiões sua inquietação pela participação de britânicos nas guerras de Síria e Iraque - acredita-se que há 500 - e por seu possível retorno com a intenção de seguir combatendo em casa.

Você pode gostar