Por marta.valim

O conflito na Ucrânia obrigou meio milhão de pessoas a abandonar suas casas, 260.000 dentro do país e o mesmo número de refugiados na Rússia, anunciou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) em Genebra.

Além das 260.000 pessoas deslocadas na Ucrânia, outras 260.000 pediram asilo ou status de refugiado na Rússia, segundo as autoridades russas, informou o porta-voz do ACNUR, Adrian Edwards.

A estimativa anterior da organização, publicada em 20 de agosto, registrava 190.000 deslocados dentro da Ucrânia e 197.400 pessoas que fugiram para a Rússia.

O ACNUR, no entanto, acredita que o número de deslocados na Ucrânia é consideravelmente superior porque muitos são recebidos por familiares ou amigos e optam por não registrar os nomes ante as autoridades, destacou o porta-voz.

"Se a crise não for interrompida rapidamente, esta não apenas terá consequências humanitárias devastadoras, como também tem o potencial de desestabilizar toda a região", afirmou o Alto Comissário para os Refugiados, Antonio Guterres.

"Depois das lições dos Bálcãs é difícil acreditar que um conflito destas proporções possa acontecer no continente europeu", completou Guterres.

De acordo com o governo russo, em um mês o número de ucranianos que chegaram como refugiados ao país subiu de 168.000 a 260.000.

Você pode gostar