Crescimento da zona do euro fica estagnado no segundo trimestre

Com exceção da Espanha, as maiores economias da zona do euro registraram maus resultados, entre elas Alemanha e Itália, cujo PIB respectivo se contraiu 0,2% e o da França estagnou, assim como no primeiro trimestre

Por O Dia

O crescimento da zona do euro estagnou no segundo trimestre, confirmou nesta sexta-feira o Escritório Europeu de Estatísticas, Eurostat, que publica uma estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) da região.

Esta confirmação ocorre um dia após os anúncios do Banco Central Europeu, que reforçou seu arsenal para tentar reativar a economia, reduzindo as taxas de juros e com outras medidas para fomentar o crédito.

O BCE aproveitou para revisar em baixa sua previsão de crescimento neste ano, a 0,9%, contra o 1% anterior.

A estagnação do crescimento da união monetária (18 países) no segundo trimestre se seguiu a um crescimento de 0,2% no primeiro trimestre, também confirmado nesta sexta-feira pelo Eurostat, que publicou sua primeira estimativa no dia 14 de agosto.

Por setores, o consumo privado cresceu 0,3% no segundo trimestre, fornecendo uma contribuição positiva de 0,2 ponto ao crescimento. Por sua vez, os investimentos das empresas caíram 0,3%, e fornecem uma contribuição negativa de 0,1 ponto percentual.

Por países, os que mais cresceram foram Malta (+1,3%) e Letônia (+1,0%). Com exceção da Espanha (+0,6%), as maiores economias da Eurozona registraram maus resultados, entre elas Alemanha e Itália, cujo PIB respectivo se contraiu 0,2% e o da França estagnou (0%), assim como no primeiro trimestre.

No conjunto da União Europeia (28 países), o crescimento foi de 0,2% (confirmado) após um aumento de 0,3% no primeiro trimestre.

Últimas de _legado_Notícia