Por douglas.nunes

O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) anunciou nesta quarta-feira uma nova redução no programa de compra de títulos, que chegará ao fim em outubro. A autoridade monetária optou ainda pela manutenção da taxa de juro, que ficará inalterada (próxima de zero)  "durante um período considerável" após a a taxa de desemprego ter ficado em 6,1% em agosto.

O Fed reduziu a previsão de crescimento para os Estados Unidos em 2014 e 2015 e afirmou ainda que a inflação deve se mantém "abaixo da meta de longo prazo", de 2%. O Produto Interno Bruto do país (PIB) deve aumentar entre 2,0% e 2,2% no último trimestre de 2014, em dados anuais, marcando uma pequena desaceleração em relação aos 2,1%-2,3% previstos em junho.

Em relação a 2015, o Fed também demonstra pessimismo ao prever  um crescimento entre 2,6% e 3,0%, em comparação à expectativa entre 3,0% a 3,2% de antes.

O banco central americano, contudo, está mais otimista em relação ao emprego. Para 2014 espera uma taxa de desemprego entre 5,9 e 6,0%. A previsão anterior era entre 6,0 e 6,1%. Para 2015, o Fed prevê agora uma taxa de desemprego ainda mais baixa, entre 5,4% e 5,6%.

Sobre a inflação, outro importante componente examinado pelo Fed, as previsões para este ano convergem com as anunciadas em junho, entre 1,5% a 1,7%. Estas taxas para 2015 foram revisadas para baixo. Segundo o indicador de referência PCE, a inflação anual nos Estados Unidos ficou em 1,6% em julho.






Você pode gostar