Por fabio.nascimento

O Banco Central Europeu (BCE) reprovou 25 bancos da Zona do Euro em testes de resistência que envolveram um total de 130 instituições da região. O grupo afetado necessita de mais € 25 bilhões (US$ 31 bilhões) de capital, de acordo com um relatório divulgado neste domingo pela entidade.

Entre os bancos afetados, a instituição monetária com sede em Frankfurt cita nove italianos, três cipriotas e três gregos, assim como o alemão Münchener Hypothekenbank e o francês Caisse de Refinancement de l'Habitat.

Estas entidades têm agora duas semanas para apresentar às autoridades europeias bancárias as medidas para suprir suas necessidades, e entre seis e nove meses para implementar esses planos de ação.

Doze dos 25 bancos que falharam nos testes já retificaram suas necessidades de capital, com € 15 bilhões em 2014, segundo o BCE.

Além disso, uma série de bancos submetidos a esses testes deverá reavaliar seus ativos em € 48 bilhões, dos quais, € 37 bilhões não precisam ser captados por meio de capital adicional, indicou em um comunicado o BCE.

Além disso, o BCE identificou cerca de € 136 bilhões de ativos de risco, o que eleva estes ativos detidos pelos bancos na zona do euro a € 879 bilhões.

Estes testes reforçam a "confiança do público no setor bancário", comentou Vitor Constancio, vice-presidente do BCE.

"A identificação dos problemas e riscos ajudará a reparar os balanços e fazer com que os bancos se tornem mais resistentes e robustos. Facilitará a distribuição do crédito na Europa, que irá apoiar o crescimento econômico", acrescentou.

Esta operação, chamada "Comprehensive Assessment", mobilizou mais de 6.000 pessoas. Ela procura determinar com precisão a posição financeira dos bancos antes de o BCE assumir em 4 de novembro o papel de supervisor bancário (SSM), no âmbito da união bancária em curso de formação.

A análise foi realizada em duas fases. Desde novembro de 2013, o BCE realizou a sua "revisão de qualidade de ativos" (AQR), um raio-X dos ativos e créditos de 130 bancos da zona do euro (mais a Lituânia).

Ao mesmo tempo, a Autoridade Bancária Europeia (EBA), com sede em Londres, realizou novos "testes de estresse", um exercício de simulação para testar a solidez dos bancos, submetendo-os a cenários de risco. O mais sombrio prevê um retorno à recessão, em um contexto de crise nos mercados financeiros e a queda dos preços da habitação.

Você pode gostar