Exército nepalês descarta que haja sobreviventes após queda de avião

Havia 23 pessoas no avião 9N-AHH que caiu nesta quarta-feira em uma zona montanhosa do país

Por O Dia

Nepal - O Exército nepalês descartou que possa haver sobreviventes entre os 23 ocupantes do avião 9N-AHH que caiu nesta quarta-feira em uma zona montanhosa do Nepal. "Nossa equipe começou a recuperar corpos, mas não há possibilidades de encontrar ninguém com vida", afirmou à agência EFE o porta-voz do Exército nepalês, Tara Bahadur Karki.

Segundo o porta-voz, "levará algum tempo" para recuperar os corpos dos 20 passageiros e três integrantes da tripulação do avião acidentado porque este ainda estaria em chamas. O avião foi localizado em uma zona de difícil acesso a cerca de 4.900 metros de altitude na área de Dana, no distrito de Mygdi.

O piloto Roshan Manandhar na cabine de um avião da Tara Airlines em voo de Dolgo para Surkhet%2C no Nepal%2C realizado em fevereiro de 2016Efe

O chefe da Polícia de Mygdi, Bishwo Khadka, confirmou que não existem esperanças de encontrar vítimas com vida, embora tenha esclarecido que por enquanto foram recuperados 17 corpos. "Estamos em busca dos outros seis corpos", acrescentou o chefe da polícia, que precisou que em alguns casos só puderam ser localizadas partes dos corpos.

O Exército e a polícia instalaram um acampamento em uma zona denominada Ghasa, para onde serão levados os corpos antes de transportá-los à capital, Katmandu, indicou Khadka. Um agente da polícia nepalesa, Phul Kumar Thapa, explicou que havia destroços da aeronave espalhados em uma área de cerca de 100 metros, onde ele viu "corpos e partes de corpos espalhados".

Três helicópteros e um batalhão com 72 soldados participaram da busca do avião acidentado. A companhia aérea Tara garantiu em comunicado que "as condições meteorológicas tanto no aeroporto de origem como no de destino eram boas" no momento em que a aeronave desapareceu. O bimotor 9N-AHH decolou do aeroporto de Pokhara às 7h47 (22h15 em Brasília) com direção à cidade de Jomsom, mas perdeu contato 11 minutos depois da decolagem.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência