Por rafael.souza

Pyongyang - A Coreia do Norte ameaçou nesta segunda-feira executar "ataques preventivos" contra os EUA e a Coreia do Sul em reação a mais recente manobra militar anual conjunta que os países iniciaram nesta segunda-feira.

"O Exército Popular [da Coreia do Norte] executará atos militares preventivos de neutralização, que podem incluir golpes mortíferos e impiedosos contra o inimigo", disse a Comissão Nacional de Defesa do país em comunicado divulgado pela agência estatal de notícias KCNA.

Imagens de teste com míssil da Coreia do Norte teriam sido adulteradas pelo país de Kim Jong-un Efe

Esse tipo de ameaça tem sido feita desde que o ditador Kim Jong Un tomou o poder, após a morte de seu pai em dezembro de 2011, e elas se intensificam quando Seul e Washington iniciam seus exercícios militares anuais - que terminam em abril, e que Pyongyang alega serem "ensaios de invasão". "Se apertarmos os botões para aniquilar os inimigos, agora mesmo, todas as bases de provocações serão reduzidas para os mares em chamas e cinzas", apontou o comunicado.

Respondendo à ameaça da Coreia do Norte, o porta-voz do Ministério de Defesa sul-coreano, Moon Sang Gyun, disse que a Coreia do Norte deve abster-se de um "ato erupção que traz destruição sobre si mesmo". Além disso, ele advertiu que se Pyongyang lançar provocações em resposta ao início dos exercícios militares, Seul responderá "sem piedade". O exercício militar conjunto deste ano será a maior já organizada, envolvendo 300 mil soldados sul-coreanos e 17 mil norte-americanos.

Você pode gostar