Ameaças de morte fazem padre mudar de igreja na Alemanha

Congolês afirma ser vítima de racismo

Por O Dia

Olivier criticou a xenofobiaReprodução

Rio -  Um padre católico nascido na República Democrática do Congo precisou pedir transferência de paróquia na Alemanha porque recebeu ameaças de morte. Olivier Ndjimbi-Tshiende, que pregava em Zorneding, assumirá nova comunidade em abril, anunciou o porta-voz do Arcebispado de Munique e Freising, Bernhard Kellner. “Lamentamos muito e estamos do lado dele”, disse. Segundo o jornal ‘Süddeutsche Zeitung’, uma das ameaças era “que te mandem para Auschwitz”.

O padre de 66 anos, que tem cidadania alemã, recebeu cinco ameaças de morte nos últimos meses, depois de ter se posicionado contra declarações xenófobas da então líder da União Social Cristã na cidade, Sylvia Boher. Ela qualificou os imigrantes da Eritreia como pessoas que só querem fugir do serviço militar.

Após duras críticas, Boher renunciou ao cargo no partido, mas se manteve no conselho municipal.

Com Deutsche Welle Brasil

Últimas de _legado_Mundo e Ciência