Morte de turistas argentinas derruba vice-ministra

A queda da número 2 da pasta veio após ela dar uma polêmica declaração sobre a morte das mulheres

Por O Dia

Guaiaquil - A morte de duas turistas argentinas no Equador e a série de protestos suscitada por grupos de direitos das mulheres provocou a queda da vice-ministra do Turismo equatoriano, María Cristina Rivadeneira. A queda da número 2 da pasta veio após ela dar uma polêmica declaração sobre a morte das turistas. "Iria ocorrer mais cedo ou mais tarde, pois as jovens viajavam de carona e procuravam festas", disse.

Em reposta, os pais das vítimas classificaram a vice-ministra de "animal". María Coni, de 22 anos, e Marina Menegazzo, de 21 anos, foram mortas no fim de fevereiro, em Montañita, perto de Guaiaquil. As autoridades equatorianas tinham dito que elas viajavam sem companhia masculina, o que gerou críticas de organizações de direitos pelas mulheres.

A família das vítimas suspeita da versão da polícia, que prendeu dois homens, Eduardo Rodríguez, de 38 anos, e Alberto Segundo Mina Ponce, de 33, acusados de terem assassinado a jovens a golpes de faca e pauladas por se negarem a manter relações com eles.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência