Contra imigração, Áustria começa a erguer muro na fronteira com Itália

Mais de 150 mil pessoas que fugiam das guerras passaram por território italiano e Áustria não quer passagem pelo seu

Por O Dia

Áustria - O governo da Áustria iniciou nesta segunda-feira a construção de uma barreira na passagem de Brennero, na fronteira com a Itália, para limitar a entrada de imigrantes vindos do país, caso seja necessário.

O chefe da Polícia local, Helmut Tomac, explicou, em entrevista à Austria Press Agency (APA), que a barreira de 250 metros irá bloquear uma rodovia.

Itália foi porta de entrada para mais de 150 mil pessoas que fugiam das guerras e Áustria não quer passagem por seu território EFE

As autoridades austríacas disseram, em diversas oportunidades, que não irão permitir a passagem de um fluxo intenso de imigrantes em busca de asilo vindos da Itália, que tem uma política de portas abertas aos deslocados.

As proteções das rodovias foram removidas, assim como seus sinais devem ser retirados, e postos de checagem serão estabelecidos no norte da fronteira a partir do final de maio.

A ministra do Interior, Johanna Mikl-Leitner, disse recentemente que "a Itália não pode contar com o fato de que [a passagem de] Brennero permaneça aberta se chegar um fluxo incontrolado de imigrantes". "Como fizeram os países da rota balcânica, Eslovênia, Croácia e Macedônia, queremos informar também à Itália sobre as medidas que tomaremos se houver um fluxo incontrolável de imigrantes da Itália para a Áustria", acrescentou.

Apenas em 2015, a Itália foi porta de entrada para mais de 150 mil pessoas que fugiam das guerras, da miséria e de perseguições, especialmente, de países do norte da África, do Afeganistão e do Iraque. O país é a segunda "rota de imigrantes" pelo mar, ficando atrás apenas da Grécia - que recebeu mais de 840 mil imigrantes.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência