Por clarissa.sardenberg

Equador - Voluntários da Cruz Vermelha da Colômbia se uniram nesta quarta-feira aos trabalhos de busca e resgate na cidade equatoriana de Pedernales, uma das mais afetadas pelo terremoto de magnitude 7,8 registrado no último sábado e que deixou, até o momento, 500 mortos.

Na manhã desta quarta-feira, um novo terremoto, de magnitude 6,1, sacudiu a região afetada pelo fenômeno. O tremor provocou alarme entre as equipes de resgate que participam do trabalho na região, mas asbucas prosseguiram. 

Cidade de Pedernales%2C no Equador%2C foi uma das mais afetadas pelo terremoto EFE

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês), o sismo foi localizado a 25 quilômetros a oeste de Muisme, cidade que fica a cerca de 100 quilômetros de Pedernales, considerada o marco zero do terremoto de magnitude 7,8 registrado no sábado.

O grupo com 74 integrantes dá apoio na retirada de corpos, nos alojamentos temporários, no reestabelecimento das telecomunicações e conta com uma estação de tratamento de água, conforme um comunicado da Cruz Vermelha.

Novo terremoto%2C de magnitude 6%2C1%2C sacudiu Equador e assustou equipes de busca na manhã desta quartaEFE

A comitiva humanitária se instalou na fronteira do estado de Pedernales, onde funcionava o prédio da Prefeitura, que desabou no terremoto.

As atividades humanitárias dos voluntários da Cruz Vermelha terão duração de dez dias. O trabalho é realizado em coordenação com o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e a Unidade Nacional de Gestão de Risco de Desastres da Colômbia, depois que a entidade equivalente no Equador solicitou apoio.

Você pode gostar