Por lucas.cardoso

Pádua - Uma mulher muçulmana que vestia o niqab, o véu islâmico que mostra apenas os olhos, foi proibida de entrar nesta quinta-feira nos Museus Eremitas de Pádua, situados ao lado da Capela dos Scrovegni, local que abriga alguns dos mais célebres afrescos de Giotto.

A notícia foi dada pelo próprio prefeito da cidade, Massimo Bitonci, membro do partido de extrema-direita Liga Norte. Em seu perfil no Facebook, ele escreveu que a polícia solicitou que a mulher descobrisse o rosto para entrar no museu, o que ela negou. Em seguida, uma patrulha decidiu identificá-la. Ela então entregou os documentos e teve de tirar o niqab para os agentes, mas depois decidiu não visitar mais o espaço cultural.

"Considerando aquilo que está acontecendo na Europa e as prisões de hoje, o que você acha?", questionou Bitonci, acrescentando as hashtags #PadovaSicura (Pádua segura) e #RispettoPerLaLegge (Respeito pela lei). Em seu texto, ele se referia à crise migratória que sacode o continente e às prisões de supostos jihadistas efetuadas nesta quinta pela polícia italiana. O nome e a origem da mulher não foram divulgados.

Você pode gostar