Conta Social: Vício que ameaça o solo e a água

Cooperativa na Zona Norte do Rio transforma as guimbas em papel reciclado

Por O Dia

Rio - Não é apenas à saúde humana que o cigarro representa uma ameaça. Uma bituca de cigarro contém mais de 4 mil substâncias tóxicas e leva, em média, cinco anos para se decompor. Os resíduos vão parar em aterros e lixões e no esgoto, poluindo lagoas e rios.

Somente no Estado do Rio, mais de dois milhões de pessoas fumam, em média, 20 cigarros por dia, o que representa 42 milhões de filtros descartados diariamente. Na capital, desde o início do programa Lixo Zero, em 2013, a Comlurb já aplicou 30 mil multas —o equivalente a R$ 5,1 milhões — a fumantes que descartam indevidamente guimbas nas ruas.

A realidade ainda está longe de virar fumaça, mas algumas iniciativas já oferecem alternativas mais sustentáveis ao descarte e à reciclagem de bitucas. Como a cooperativa Eccoponto Brasil, em Honório Gurgel, que transforma pontas de cigarro em papel reciclado. Na Alerj, tramita também um projeto de lei que propõe a criação de um programa de reciclagem que obriga fabricantes, distribuidores e comerciantes de tabaco a oferecer recipientes em locais de grande circulação para depósito deste material. “Com a reciclagem dos filtros, criamos novos materiais que podem ser reaproveitados e nada se perde”, aposta o deputado Tiago Mohamed (PMDB), autor do projeto.

CRECHE COMUNITÁRIA GANHA PAINÉIS SOLARES

A Creche Mundo Infantil, na comunidade Dona Marta, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, que atende gratuitamente crianças entre seis meses e cinco anos, vai passar a usar energia solar. A Shell e a Insolar vão financiar a instalação de 10 painéis fotovoltaicos na creche comunitária. A estimativa é que os 240kWh produzidos no espaço sejam capazes de manter funcionando, por exemplo, duas geladeiras, um microondas, uma TV, três ventiladores, um computador, uma impressora e 50 lâmpadas. Ainda este ano, a meta da Shell é levar a tecnologia a outras áreas de uso comum na comunidade. A conferir.

A segunda edição da revista ‘Ciência Pantanal’, da ong WCS Brasil, traz 17 artigos assinados por 44 especialistas de oito instituições de pesquisa que ajudam a disseminar bons exemplos de práticas sustentáveis de uso da terra.

Creche comunitária ganha painel solarDivulgação

A SC Johnson doará 100 mil unidades do repelente pessoal OFF!® para a Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho distribuirem para famílias carentes na prevenção contra o mosquito que pode transmitir o zika vírus. 

Com apoio da plataforma online Cabeça e Coração, a campanha ‘Coração de Mãe’ mobiliza funcionários de Furnas a doar fraldas, mantimentos e itens de higiene pessoal para bebês vítimas de microcefalia em todo o Brasil durante este mês.

BOAS AÇÕES EM DIA

A segunda edição da revista ‘Ciência Pantanal’, da ong WCS Brasil, traz 17 artigos assinados por 44 especialistas de oito instituições de pesquisa que ajudam a disseminar bons exemplos de práticas sustentáveis de uso da terra.

A SC Johnson doará 100 mil unidades do repelente pessoal OFF!® para a Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho distribuirem para famílias carentes na prevenção contra o mosquito que pode transmitir o zika vírus.

Com apoio da plataforma online Cabeça e Coração, a campanha ‘Coração de Mãe’ mobiliza funcionários de Furnas a doar fraldas, mantimentos e itens de higiene pessoal para bebês vítimas de microcefalia em todo o Brasil durante este mês.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência