Exército sírio entra na província de Raqa, reduto do Estado Islâmico

O grupo militar executou 160 soldados após a tomada do aeroporto da localidade

Por O Dia

Beirute - O exército sírio entrou neste sábado pela primeira vez em quase dois anos na província de Raqa, norte do país, reduto do grupo extremista Estado Islâmico (EI), que o regime combate com o apoio da Rússia, seu grande aliado, anunciou uma ONG.

As tropas do regime "são apoiadas por bombardeios dos aviões russos e por milícias sírias treinadas por Moscou" em sua ofensiva iniciada na quinta-feira para recuperar a cidade de Tabqa, afirmou à AFP Rami Abdel Rahman, diretor do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

"Entraram na manhã de sábado na província de Raqa pela primeira vez desde agosto de 2014", quando o grupo extremista expulsou as tropas do local, completou. O principal objetivo do exército é reconquistar a localidade de Tabqa, no Eufrates, perto de onde fica uma prisão controlada pelo EI e um aeroporto militar.

O exército e seus aliados entraram na província de Raqa a partir do sudoeste. Neste sábado estavam a menos de 40 km de Tabqa, capturada pelo EI em 2014. O grupo executou 160 soldados após a tomada do aeroporto da localidade. Ao menos 26 jihadistas e nove combatentes pró-regime morreram desde o início da ofensiva na quinta-feira.

Há 10 dias, as Forças Democráticas Sírias (FDS), uma coalizão árabe-curda apoiada pelos Estados Unidos, iniciaram uma ofensiva na província de Raqa e também avançam para Tabqa, mas a partir do norte. "Parece que existe uma coordenação não declarada entre Washington e Moscou", afirmou Abdel Rahman.

Quase toda a província de Raqa está sob controle do EI, exceto as cidades de Tall Abyad e de Ain Isa, de onde a organização extremista foi expulsa pelas FDS. O EI também enfrenta uma ofensiva na província de Aleppo, onde as FDS avançam para a cidade de Minbej, controlada pelo grupo extremista.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência