Greve na França custa ao menos 20 milhões de euros por dia

Setor ferroviário está descontente com reforma trabalhista e paralisação entrou em seu sexto dia nesta segunda-feira

Por O Dia

França - A greve de trabalhadores do setor ferroviário custa "mais de 20 milhões de euros por dia" aos cofres franceses, informou um representante da Companhia Nacional de Ferrovias (SNCF) à imprensa francesa nesta segunda-feira. Segundo o jornal local "Le Figaro", a estimativa inclui o prejuízo de bilhetes não vendidos, reembolsos e substituições, entre outros.

Greve na França entrou em seu sexto dia nesta segunda-feira e não tem previsão de término EFE

A paralisação entrou em seu sexto dia nesta segunda-feira, sem expectativa de acabar. A pouco tempo do início da Euro 2016, o governo francês enfrenta o descontentamento da população contra uma reforma trabalhista, que também causou a paralisação das refinarias, afetando o abastecimento de combustível no país.

A reforma prevê uma flexibilização do mercado de trabalho, permitindo que as empresas ampliem as possibilidades de demissão por justa causa.

Além disso, autoriza a negociação de horas extras (e não mais o pagamento automático) e permite a demissão de funcionários de multinacionais que estejam passando por dificuldades financeiras na França, mesmo que tenham lucro em filiais de outros países. Uma greve geral está programada para o dia 14 de julho, quando é comemorada a queda da Bastilha.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência