Vítima de estupro é condenada no Catar

Holandesa de 22 anos disse ter sido drogada e violentada por um desconhecido no país árabe

Por O Dia

Doha - A Justiça do Catar condenou uma jovem holandesa de 22 anos, que diz ter sido estuprada no país árabe, foi condenada a pagar uma multa de U$$ 824, aproximadamente R$ 2.600 e será deportada do país. A alegação da condenação é de que a mulher fez sexo fora do casamento depois que ela procurou a polícia para dizer que foi estuprada.

Vista aérea do Catar. País receberá em 2020 a Copa do Mundo de Futebol Divulgação

O homem acusado do estupro, que alega ter feito sexo de forma consentido com a mulher, receberá 100 chibatadas por fazer sexo fora do casamento. E mais 40 açoitadas por consumir bebida alcoólica, o que é proibido no país.  

Segundo o advogado da acusada, que estava de férias no Qatar, alguém teria colocado uma substância na bebida dela. A mulher acordou no apartamento de um homem e descobriu que havia sido abusada sexualmente. O caso ocorreu em março deste ano.

A holandesa está presa desde que prestou queixas, naquele mesmo mês. O episódio só veio à tona agora porque a família dela foi à imprensa na Holanda para contar o que está acontecendo. O caso mostra as complicações que turistas podem encontrar em um país governado por duras leis islâmicas, mas que vem tentando atrair visitantes ocidentais com investimentos milionários. 

Últimas de _legado_Mundo e Ciência