Massacre de Orlando: Atirador frequentava boates gay, diz cliente

Um dos frequentadores contou que trocou mensagem com autor do ataque por quase um ano por meio de um app voltado para o público LGBT

Por O Dia

Estados Unidos - Omar Mateen, que abriu fogo na boate Pulse em Orlando, nos Estados Unidos, e deixou 49 pessoas mortas e 53 feridas, costumava frequentar a boate gay, segundo clientes da casa noturna em entrevista ao jornal Orlando Sentinel.

Omar Mateen, que abriu fogo em boate gay, costumava frequentar local voltado para público LGBTReprodução Facebook

Ty Smith, um dos frequentadores, informou que às vezes o atirador sentava em um canto e ficava bebendo sozinho. Em outras vezes, ele ficava muito bêbado que chegava a ser agressivo com as pessoas.

Outro cliente, Kevin West, afirmou já ter trocado mensagens o americano de origem afegã em um programa de bate- papo voltado para o público gay por quase um ano.

O massacre de Orlando foi um dos mais violentos desde os atentados de 11 de setembro de 2001. O diretor do FBI James Comey informou que a Polícia Federal está convencida de que Mateen se "radicalizou" com a propaganda do Estado Islâmico na Internet e teria proclamado sua lealdade em uma série de ligações durante o ataque. 

Ex-mulher de assasino reforça que ele tinha tendência homossexuais

A relação de Omar Mateen com a comunidade gay vai sendo esclarecida a medida que novos relatos surgem sobre seu comportamento. A ex-mulher do autor do massacre informou que ele tinha "tendências homossexuais", reforçando o depoimento de vizinhos que afirmaram que o homem costumava frequentar a boate gay com certa frequência.

O pai de Mateen também revelou que seu filho havia ficado irritado após presenciar dois homens se beijando.

LEIA MAIS

Atirador de boate em Orlando tentou Disney como alvo

Castro envia condolências a Obama por massacre em Orlando

Vídeo: Vítima gravou início dos disparos em massacre de Orlando

Norte-americano muçulmano prega o fim do ódio ao doar sangue em Orlando

Omar Mateen era 'instável e perturbado', diz ex mulher de atirador

Obama classifica massacre de Orlando como 'ato de terrorismo e ódio'

Pai de atirador que matou 50 em boate confirma comportamento homofóbico

Últimas de _legado_Mundo e Ciência