Mulher de atirador sabia que marido ia matar gays

Noor Mateen teria tentado dissuadir o terrorista. Polícia deve indiciá-la por silêncio

Por O Dia

Estados Unidos - Noor Mateen, a esposa de Omar Mir Seddique Mateen, o autor do massacre em Orlando, pode ser acusada criminalmente, caso seja comprovado que ela sabia das intenções do marido e se calou. Em declarações à ABC News, um agente da polícia afirmou que Noor, de 30 anos, “poderia saber com antecedência sobre o incidente (o ataque na boate)”, apesar de ter tentado convencê-lo a desistir da ideia. 

Vários jornais indicaram que Noor levou seu marido de carro até a boate gay Pulse, onde ele cometeu o atentado terrorista que matou 49 pessoas e deixou 53 feridas na madrugada de domingo. Mateen, o autor do tiroteio, de 29 anos e nascido em Nova York, morreu em confronto com a polícia após manter reféns na boate por quase três horas.

Casal feliz só na foto%3A Noor%2C com o filho e o marido. Ela também teria ido com Mateen até Orlando no sábadoReprodução Internet

Atirando em mortos

O Hospital Orlando Health, onde a maioria dos feridos foi atendida, informou que há 27 pessoas internadas, seis delas em estado grave. Um dos sobreviventes contou sua história. O porto-riquenho Ángel Colón disse que estava se despedindo dos amigos quando Mateen entrou atirando. “Do nada ouvimos um estrondo. Todo mundo parou, mas o barulho continuava”, lembrou. Ángel foi baleado três vezes na perna e caiu.

“Tentei me levantar, mas todo mundo estava correndo, muitos me pisando.” Na confusão, sua perna foi estraçalhada. Ángel achava que escapara de Mateen quando ele foi para outro ambiente da Pulse. Mas o monstro retornaria. “Do chão, pude ver que ele estava atirando em cada corpo jogado no chão, para se certificar de que tinha matado mesmo. Vi quando ele disparou contra a garota que estava ao meu lado.” E Mateen baleou Ángel novamente.

Ángel Colón foi baleado na perna%2C na mão e no quadril e pisoteadoEfe

“Mas graças a Deus ele só pegou na minha mão e no meu quadril”, detalhou. Quando a polícia entrou, um dos agentes o arrastou para fora. “O chão estava cheio de estilhaços de vidro, e só pude sentir meu sangue escorrendo”, contou. “Mas graças a esses homens que estou aqui agora”, concluiu.

Novo susto

A Polícia de Amarillo, cidade no Texas, matou nesta terça-feira um homem armado que tinha invadido e feito reféns em supermercado da rede Wal-Mart. “O suspeito foi abatido pela equipe da Swat da Polícia de Amarillo e parece estar morto. Os reféns estão a salvo”, informou a polícia em instituição em um breve comunicado sem dar detalhes.

O homem tinha se entrincheirado durante duas horas dentro do supermercado, no que as autoridades chamaram de um aparente “incidente laboral de tipo violento”. Apesar de aparentemente ter atirado no momento em que fez os reféns, ninguém ficou ferido, segundo a Polícia de Amarillo.

Com Efe e ABC News

Últimas de _legado_Mundo e Ciência