Colômbia e Farc anunciam acordo de cessar-fogo bilateral e definitivo

Conflito, considerado um dos mais longos do mundo, marcou gerações e matou mais de 220 mil e desalojou milhões

Por O Dia

Colômbia - O governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram nesta quarta-feira que chegaram um acordo de cessar-fogo bilateral e definitivo, que é um primeiro passo para colocar fim ao conflito armado, segundo a Associated Press.

O conflito, considerado um dos mais longos do mundo, marcou gerações e deixou mais de 220 mil mortos. Os combates também obrigaram milhões de campesinos a se deslocar desde o início das hostilidades, em 1964.

Um dos negociadores rebeldes leu um comunicado em que dizia que, além do cessar-fogo, o governo e as Farc também entraram em um acordo sobre “o abandono de armas, garantias de segurança e da luta contra as organizações criminosas responsáveis por assassinatos e massacres”, ainda segundo a Associated Press. 

Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) anunciaram acordo com governo colombianoArquivo

A cerimônia que oficializará o acordo acontecerá na quinta-feira (23) em Havana, em Cuba.  Devem comparecer o presidente colombiano,Juan Manuel Santos, do comandante das Farc, Timoleón Jiménez, assim como representantes de países envolvidos nas negociações, como a Noruega, a Venezuela e o Chile.

O líder guerrilheiro Carlos Antonio Lozada disse que esta quinta-feira será o último dia da guerra. "Para que se encerre a horrível noite e se abra caminho para a paz e a esperança", escreveu ele em seu Twitter.

Nos últimos 15 anos, o exército colombiano, apoiado pelos Estados Unidos, colocou em prática uma ofensiva militar contra o movimento insurgente, pressionando a ida dos combatentes para a selva e o forçando a negociar sua desmobilização.

Juan Manuel Santos já afirmou que o processo de paz com a guerrilha é "irreversível" , apesar dos tropeços, e que será assinado ainda neste ano.

Acordo

Segundo pessoas envolvidas, o acordo estabelece um cronograma para o assentamento de guerrilheiros em locais determinados e o desarmamento com a supervisão das Nações Unidas. Há 11 meses, as Farc mantêm um cessar-fogo unilateral, e o governo suspendeu bombardeios a campos rebeldes.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência